Bryan Giles, guitarrista e vocalista no Red Fang, acredita que ambos os lados extremos do espectro político estão longe da razão – e a capa do novo álbum da banda, Arrows, reflete um pouco disso.

A arte assinada por Orion Landau foi pensada para impressionar e refletir o escrutínio social dos tempos atuais, nos quais a cultura do cancelamento está no centro do debate.

Em entrevista ao Wikimetal, Giles conversou sobre sua visão do cenário atual. “São tempos muito, muito estranhos para ser gente. Todo mundo surtou, cara. A direita está surtada, a esquerda está surtada, nada faz sentido algum para mim”, declarou de forma enérgica. “Esquerdismo extremo é tão ruim quanto a extrema direita, é intolerância”.

LEIA TAMBÉM: Blackberry Smoke sobre a Bandeira Confederada: “Não nos ensinaram que celebrava racismo”

Um dos exemplos citados pelo músico foi a decisão da editora de Dr. Seuss, um dos autores infantis mais conhecidos dos Estados Unidos, de encerrar a publicação de alguns livros por conteúdo racista, em caso semelhante ao do brasileiro Monteiro Lobato. “Nós não somos idiotas, eu não acho que crianças são idiotas. Não acho que uma criança que lê Dr. Seuss se torna racista, não é um livro infantil que causa racismo, são os pais que fazem isso. Que tal cancelar os pais?”, sugeriu.

Na visão de Giles, ambos os lados da disputa estão desorientados. “É ridículo. Sou uma pessoa muito liberal, mas é difícil ver dessa perspectiva rasa. É uma guerra cultural. Em guerras, é necessário pensamento objetivo, mas ninguém está pensando direito agora!”, finalizou.

Arrows, quinto álbum de estúdio do Red Fang, foi lançado na última sexta-feira, 04, com os singles “Funeral Coach” e “Why”.

LEIA TAMBÉM: Dee Snider acredita que censura passou “da direita mais para a esquerda” nos dias de hoje

Categorias: Notícias