Os estadunidenses do Red Fang estão de volta com o quinto álbum de estúdio, Arrows, lançado na última sexta-feira, 04, e os clipes insanos que os tornaram conhecidos.

Com dois já lançados para o novo álbum, o guitarrista e vocalista Bryan Giles conversou com Wikimetal sobre a diferença entre os universo visual para as músicas e o que a banda realmente apresenta no palco.

Se alguém espera encontrar “roupas engraçadas e animais de pelúcia” no palco, ao estilo do clipe de “Why”, ou caras insanos de “Wires” e “Arrows”, certamente vai se surpreender. “Nós tentamos oferecer a experiência musical mais intensa possível e, honestamente, o conteúdo da nossa música é qualquer coisa, menos alegre”, avisou o músico. “Existe uma dicotomia, mas até agora, as pessoas estão de boa com isso. Às vezes existe um choque, espero que seja uma surpresa positiva”.

Conhecidos pelo clima descontraído nos vídeos, os estadunidenses destroem uma série de itens com uma espada no clipe da faixa-título do novo álbum. “Eu pesquisei no YouTube sobre como usar uma espada, mas não acho que consegui nenhuma informação útil”, contou Giles. “Não cortei minha mão fora, então acho que fiz um ótimo trabalho”.

no caso de “Why”, a temática é muito mais sombria. “São três minutos difíceis. Tem uns 30 segundos de celebração e tudo vai ladeira abaixo. Não é o clipe mais animador que já fizemos”, admitiu o guitarrista. “Nossa intenção não era minimizar o vício em drogas, eu já lidei com isso no passado”.

“Eu sei que não parece possível parar, uma vida limpa não parece real. É possível, mas conheço a mentalidade e o sentimento de que não há saída, essa é a única forma de viver”, continuou. “ E não queria um final feliz, acho que existem mais finais trágicos do que felizes para o vício em drogas, queria representar esse problema da humanidade”.

LEIA TAMBÉM: Bryan Giles, do Red Fang, reflete sobre polarização política: “Esquerdismo extremo é intolerância”

Categorias: Notícias