Em entrevista recente para a NPR, Paul McCartney admitiu que “não sabia o que fazer” quando os Beatles se separaram em 1970.

O compositor falou sobre o longo período de dúvidas entre o fim da banda e o início de um novo projeto, e o processo de aceitação sobre a impossibilidade de atingir algo tão grande quanto os Beatles novamente.

“Foi muito difícil porque eu não sabia o que fazer e não tinha nenhuma ideia além de ‘Se eu quero continuar fazendo música, talvez eu forme outra banda’,” conta McCartney. “Mas como alguém faz isso depois dos Beatles? Como algo pode ser tão bom quanto os Beatles? Nós éramos uma combinação muito especial de talentos.”

“Era uma questão de ‘Como posso fazer algo melhor que isso?’ e acho que precisei pensar ‘Bom, não posso, mas se eu quero continuar nisso, talvez eu deva pensar em começar algo novo’,” concluiu o ex-Beatle.

Foi então que Paul McCartney se juntou à sua esposa, Linda, e formou o Wings, que se manteve em atividade até 1981. “A única coisa que eu podia fazer era começar como os Beatles começaram, do início, tocando em alguns clubes pequenos e coisas do tipo,” relembra. “E foi isso que fiz com o Wings, mas foi um período muito difícil antes de decidir – o período em que eu estava meio perdido.”

LEIA TAMBÉM: O dia em que Paul McCartney criou “Get Back” sozinho – e “do nada”; assista

Categorias: Notícias