Os bastidores do Rock In Rio são repletos de histórias sobre o comportamento excêntrico de algumas das maiores estrelas da música mundial, desde os problemas com Axl Rose até o dia em que Freddie Mercury quebrou o camarim após ser insultado. 

Em recente entrevista ao Observatório da Música, a coordenadora de camarins Ingrid Berger relembrou o acontecimento. “Esse episódio do Freddie Mercury era comum nos anos 1980 e 1990 onde alguns artistas  nos davam problemas desse tipo. Hoje já não temos mais artistas assim, fora alguns novos que se acham, mas não quebram ou armam barracos nos camarins”, comentou. “Hoje estão mais voltados à saúde física, comidinhas orgânicas e sendo partidários da sustentabilidade, acho que tudo mudou. Ainda tem artistas com grandes exigências, mas nada que não conseguimos realizar”.

O “barraco” de Mercury foi revelado pelo repórter Amin Khader, que trabalhou nos camarins do festival nas primeiras edições e acompanhou o vocalista do Queen nos bastidores do evento em 1985. “Me lembro dele chegando de helicóptero. Ele perguntou quem estava nos corredores dos camarins, porque queria aquele espaço todo livre. Pediu cinco minutos para deixar todo o corredor livre. Fiquei maluco. Neste dia eu tinha Erasmo Carlos, Elba Ramalho, Alceu Valença, Ney Matogrosso e o Queen. Cheguei no corredor e fui pedindo para ninguém ficar lá. Um pedido inusitado dele, né?”, contou em entrevista ao UOL em 2019.  

LEIA TAMBÉM: Bola fora: O dia em que Ozzy Osbourne abraçou bandeira do Brasil em show na Argentina

Para conseguir o corredor liberado, Khader precisou prometer uma garrafa de whisky em cada camarim, mesmo sem permissão para tal. “Aí passou o Freddie Mercury com aquela pose de superstar. Quando ele passou os artistas brasileiros e banda começaram a gritar: ‘bicha, bicha, bicha!’”, lembrou. 

O brasileiro ainda teria buscado formas de amenizar a situação e ocultar o teor homofóbico dos gritos. “O Freddie perguntou o que estavam falando dele e eu disse que era um elogio. Não adiantou, ele sacou que era algo errado, entrou no camarim e quebrou tudo. Jogou tudo pro alto. Ficou indignado. E eu tive que deixar tudo arrumado de novo pra ele. Fiquei desesperado e achei que tinha perdido meu emprego, mas a família Medina mandou repor tudo e ficou tudo bem. Nunca mais esqueci disso”, finalizou. 

ATUALIZAÇÃO (14/11/2021, às 10h33): Como todas as histórias contadas sobre os bastidores do rock n’ roll, existem diferentes versões para os fatos narrados por Amin Khader, que já contou a mesma noite de modo diferente em outras ocasiões. Veja abaixo duas entrevistas do jornalista sobre o caso.

LEIA TAMBÉM: Roger Taylor cogita novo álbum do Queen e defende vocais de Adam Lambert: “Ele merece gravar uma canção”

Categorias: Notícias