Texto escrito pelo WikiBrother Gabriel Brandino, do @moshinhell

Hoje vamos explicar o significado de um clássico do viking metal, “One Rode To Asa Bay”, do Bathory.

A banda sueca que era liderada pelo icônico multi-instrumentista, Quorthon, foi uma das precursoras dos estilos black e viking dentro da metal.

Suas músicas eram extremamente detalhadas e inteligentes, e a banda tem várias composições que falavam sobre a “Era Viking sueca pré-cristã”.

“One Rode To Asa Bay”, é um dos maiores clássicos do metal, na minha opinião, e a letra conta a história da chegada dos cristãos na Escandinávia.

A música não fala apenas da chegada dos cristãos, mas de toda a conversão dos vikings para o cristianismo, que se iniciou no século VIII.

Para que o povo escandinavo fosse convertido, foi preciso um tempo consideravelmente maior do que os cristãos estavam “acostumados”, principalmente por serem povos já desenvolvidos, e com uma tradição muito forte, os países escandinavos levaram entre 150 e 200 anos para se tornarem terras dominadas pela religião cristã.

“Os rumores falavam acerca de um homem que veio do outro lado dos mares
Carregando uma cruz dourada ao redor do pescoço, e falando numa estranha língua de paz.
Ele chegara com estranhos homens armadurados […]
Cheirando a flores, não a cerveja e sem pêlo algum em suas faces”

Aqui é quando o povo escandinavo percebe a chegada dos cristãos, que para eles eram apenas algumas pessoas estranhas, que não falavam suas línguas e que tinha vestimentas e estilos completamente diferentes dos seus.

“E o audacioso homem proferiu a todos de Asa Bay
Que o Deus de todo homem, mulher e criança havia aportado para salvá-los
E que para agradecer ao senhor dos céus, deveriam construir a ele uma casa
E para que do inferno suas almas fossem salvas, deveriam ser batizados e realizar promessas”

Esse homem, que era um padre, chegou proferindo suas palavras para começas a sua catequização, esperando para saber quais homens se curvariam as suas palavras, e quais deveriam ter outras metidas para que sua ideia fosse pregada.

“Todos aqueles que não pagaram a um dos quatro homens do novo Deus
Foram chicoteados vinte vezes e acorrentados pelo pescoço a um tronco
E então todos na baía de asa construíram a casa da cruz,
A cada hora do dia eles se esforçaram, com os membros a doer, pois a fé tem preço”

Nesse trecho fica claro como era a imposição por meio da opressão do cristianismo.

Casa da cruz é claramente uma igreja, e os nórdicos foram forçados a trabalhar como escravos simplesmente por serem “impuros” de acordo com os cristãos da época.

“Uma vez erguida a casa do Deus da cruz, eles nos deixarão em paz […]
Povo de terra de Asa, tudo isso apenas começou!”

Aqui dá a entender, que, após o povo escandinavo construir a igreja, eles acreditavam que estariam livres de tudo aquilo, porém, o cristianismo era uma religião iconoclasta, e a última frase da música “tudo isso apenas começou”, nos dá a sinopse do que aconteceria mais tarde.

A música é uma crítica, não a religião cristã, mas a maneira como ela foi imposta as terras do norte, e todo o sofrimento causado para o povo nórdico.

“Asa Bay”, é o nome fictício de uma aldeia inventada por Quorthon, que foi inspirado no pseudônimo “Asa Drake”, utilizado pelo escritor C. Dean Andersson (que era amigo do músico) em alguns de seus livros de ficção e fantasia.

Tags:
Categorias: Notícias