Confira mais um texto escrito por um de nossos WikiBrothers:

Além dos festivais promoverem shows exclusivos num único pais ou até em todo continente,  muitas bandas decidem comemorar aniversários, reuniões, datas e eventos especiais,  tocar discos clássicos na integra”

 

Por Gilberto Morais

1) Preço: independente do tamanho do festival, desde os mais underground (pequenos)  até os mais mainstream (maiores), a relação custo x beneficio é sempre muito vantajosa. Às vezes, somente levando em consideração o preço total da aquisição do passe ou ingresso tomando por base os custos dos shows dos Headliners disponíveis,  já sai mais em conta que um show avulso de cada um, ainda mais levando se em conta que há outras atrações de interesse no programa do festival que acabam servindo ainda para diluir, amortizar ainda mais este custo, além dos gastos indiretos como locomoção para um número maior de viagens a fim de  ver as mesmas atrações que não estarão obviamente reunidas num único  evento. Outro atenuante: se comparado ainda com o preço abusivo praticado no Brasil, como é o caso, a vantagem é ainda mais substancial.

2) Shows diferenciados: além dos festivais promoverem shows exclusivos num único pais ou até em todo continente,  muitas bandas decidem comemorar aniversários, reuniões, datas e eventos especiais,  tocar discos clássicos na integra, reunir bandas coirmãs seminais do mesmo gênero ou ainda contar com a participação de ex-membros nestes eventos. Além disso, há aquelas bandas que sequer estão em atividade e muito menos em tour que acabam tendo a única oportunidade de tocar para um publico que jamais teriam, aliás, talvez nem tiveram quando estavam no auge de suas carreiras, pois não é vantajoso arriscar a sair em turnê regular devido ao mínimo ou nenhum cachê e nestes festivais acabam compensando suas participações. Sim, falo a respeito das bandas subestimadas (underrated) ou ainda esquecidas, porém de muita qualidade. E há muitos shows destes, independente da proposta e tamanho do festival. Fora isso, por serem ao ar livre, há também  bandas que capricham ainda mais na produção com efeitos pirotécnicos, explosões, etc. que não contariam com todo este aparato numa turnê regular justamente por restrições orçamentárias, enriquecendo ainda mais seus respectivos shows.

3) Meet and Greet: outra vantagem é que muitos festivais promovem sessão de autógrafos com pelo menos uma parte das bandas do cast e você não precisa pagar por isso como é de praxe em shows próprios das bandas onde disponibilizam pacotes VIP, prática muito comum pelo hemisfério norte. Existe hora predeterminada e também é muito melhor que ir a hotel/aeroporto atrás do teu ídolo, correndo o risco de se frustrar, perder tempo e dinheiro e o mesmo sequer aparecer ou não fazer a menor questão de ser cordial e educado, pois o artista que estará lá nesta sessão, estará disposto a autografar e tirar uma foto com o público presente respeitando a duração do evento.

4) Clima: como a temporada dos festivais na Europa é do final de Abril até o fim de Agosto e as estações são ao contrario do Brasil, ou seja, do período que contempla o meio da Primavera ao meio do Verão no Hemisfério Norte, a temperatura é em geral bem agradável, principalmente nos países da Europa Central ou em direção ao Norte, salvo a Escandinávia onde durante a noite é esperado o “frio”, mas nada tão diferente do que estamos habituados no Sudeste e Sul do Brasil e o sul da Europa onde lá ao contrário predomina dias tórridos. E a incidência de luz solar, isto é, a duração do dia é maior que o habitual em todo o Brasil no auge do Verão.

5) Integração/ Intercâmbio: quer coisa mais legal e bacana que encontrar e interagir com headbangers de tudo quanto é lugar do mundo, curtindo um som e tomando uma cerveja junto? Praticamente em todos os festivais, até os menores, há sempre  fluxo e presença de estrangeiros.

6) Turismo:  fora isso, com o intuito de fazer valer o teu dinheiro, que tal ainda combinar uma viagem destas com um pouco de turismo? Como os bilhetes econômicos das companhias aéreas são para estadias de no mínimo 1 semana e a media de duração dos festivais em torno de 2 a 3 dias, há tempo o suficiente para visitar decentemente pelo menos uma cidade, localidade de interesse. Nada mal!

*Este texto foi elaborado por um Wikimate e não necessariamente representa as opiniões dos autores do site.

Clique aqui para ver os outros textos do WikiBrother Gilberto Morais.

Categorias: Opinião

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *