Em 2019, Ringo Starr entrou com um processo contra uma empresa que usava seu nome em um brinquedo sexual. O produto, chamado de Ring O, incomodou o músico, que tem seu nome como marca registrada, porém a empresa também registrou o nome do produto, resultado em uma batalha judicial.

Agora, o ex-Beatle desistiu do processo e a empresa Pacific Holdings and Momentum Management ficou livre. O baterista alegava que o nome do produto podia causar confusão entre os fãs, mas a empresa não cedeu. Segundo ele, o nome era “idêntico em aparência, sonoridade, conotação e pronuncia”, o que ia contra a marca registrada dele.

O processo foi abandonado por Ringo após chegar a um acordo com a empresa, que agora irá usar o nome Ring O apenas com alguma outra palavra ou símbolo no meio para não ter a sonoridade e escrita de Ringo. A empresa concordou a fazer a mudança, pois não quer “prejudicar e nem depreciar” seu nome.

LEIA TAMBÉM: Ringo Starr prefere o novo documentário sobre os Beatles à versão dos anos 70: “Achei miserável”

Categorias: Notícias