O icônico The Black Album, do Metallica, completou 30 anos de lançamento em agosto. Como parte da comemoração, a banda convidou 53 artistas de diferentes gêneros musicais e nacionalidades para The Blacklist, um álbum com versões das músicas do disco aniversariante. 

Desde versões mais fieis ao original, como “Nothing Else Matters” com Miley Cyrus e Elton John, até aquelas em que as músicas estão quase irreconhecíveis, como “Sad But True” de St. Vincent, a melhor parte do projeto é a dedicação de cada artista para fazer algo completamente novo com esses clássicos. Pelo menos é o que pensa James Hetfield

Em entrevista à rádio SiriusXM, o frontman do Metallica elogiou o trabalho dos convidados. “Eu amo o fato de que [os artistas] gostam das músicas, eles mergulharam, digeriram isso e cuspiram do jeito deles, da maneira que melhor funciona para eles. Seja em espanhol, rap, country ou um remix maluco”, comentou (via Brave Words). 

“Amo o fato de todas serem muito, muito diferentes. Todo mundo que participou, os artistas levaram o tempo para fazer as músicas como se fossem deles”, continuou. “Eles não se limitaram a ligar e dizer, ‘Ah, vamos fazer um cover do jeito que era’. Eles se apropriaram e fizeram [as músicas] ser deles. Isso, para mim, é lindo”.

LEIA TAMBÉM: Vovô dançarino se diverte ao som de Metallica em vídeo viral

Tags:
Categorias: Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *