Fundador do Ghost responde ao processo judicial

Em resposta ao processo judicial que foi iniciado no começo do ano por parte dos 4 músicos da banda Ghost, conhecidos como Nameless Ghouls, o fundador da banda Tobias Forge (Papa Emeritus) apresentou ontem uma resposta jurídica que além de dar continuidade ao caso, revela definitivamente a identidade de todos os integrantes do grupo.

Os 4 músicos do Ghost, Simon Soderberg, Mauro Rubino, Henrik Palm e Martin Hjertstedt processam Tobias Forge por conta da divisão de lucros resultantes da venda de discos e das tours da banda.

Em resposta oficial, Forge alega que “não existia acordo legal entre ele e os 4 músicos” e que a única tarefa que lhes cabia era a de “tocar as músicas e manter a imagem de acordo com as instruções” dadas pelo vocalista. Por esse serviço, os músicos receberiam um salário fixo.

Forge também revela que ele é o único autor de todas as músicas com exceção de “Year Zero” e “Zenith” que vieram de ideias do guitarrista Martin Persner que já não pertencia a banda, e ainda assim que Forge diz ter modificado arranjos e letras de ambas as músicas.

No processo judicial, Tobias Forge diz que sempre esteve muito claro que o Ghost não é um projeto conjunto, e sim uma entidade que ele controla e que os outros integrantes são “músicos contratados” e que eles não são insubstituíveis ou considerados cruciais para a banda.

Ele também diz que inicialmente achava que além dos pagamentos fixos, os músicos poderiam ter ganhos adicionais oriundos das atividades da banda, mas que o Ghost só começou a dar resultado financeiro a partir da tour de 2017 uma vez que, segundo Forge, todas as receitas anteriores foram usadas para pagar músicos, produtores, equipe, viagens, acomodações e compra de equipamentos.

No comunicado, Forge diz que até 2017 ele não havia recebido salário e que ele vivia apenas da receita dos direitos autorais do primeiro disco do Ghost Opus Eponymous e conclui dizendo que ao iniciar o processo judicial os músicos destruiram o mistério que rodeava a banda.

Uma tradução do Sueco para o Inglês da resposta judicial de Tobias Forge pode ser lida em 2 partes, aqui e aqui.

Tags:
Categorias: Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *