Confira mais um texto escrito por um de nossos WikiBrothers:

Já pensou um festival de metal em alto mar partindo de Santos com destino a Buenos Aires e parada em Punta del Este e Montevideo ou ainda rumo a Bahia”.

 

Por Gilberto Morais

Como deu o que falar alguns artigos publicados sobre os festivais na Europa, decidi redigir um texto a respeito de uma nova onda que já vem ocorrendo há pelo menos 2 anos com força total no Hemisfério Norte e vem se expandido, surgindo a uma impressionante velocidade novas e boas opções para quem quer um festival um tanto diferente do modelo tradicional.

Trata-se de cruzeiros marítimos temáticos, que a bem da verdade, já existe há um bom tempo e somente recentemente o nicho do metal vem sendo devidamente explorado.

É importante frisar que faz tempo que a própria revista sueca Sweden Rock que é a organizadora do tradicional Sweden Rock Festival promove no inicio de Outubro cruzeiros marítimos de pequena duração, porém, com shows de metal e classic rock realizando a travessia da Suécia (Estocolmo) para Turku (Finlândia) e retornando para a capital sueca. Inclusive, nesta ocasião eles aproveitaram recentemente para anunciar algum nome e promover o festival em terra do ano seguinte. Portanto, a menos que esteja equivocado, não tiremos o mérito dos escandinavos como pioneiros deste tipo de evento.

Em meados de 2010, a Ultimate Metal Cruise, empresa canadense criada para este intuito, lançou o já consagrado 70.000 Tons of Metal que esta indo para sua 3a edição em 2013 e contou com ingressos esgotados nas 2 edições ja ocorridas. O cast da primeira foi excelente e o da segunda hors concours. Arrisco até a dizer que tenha sido o melhor festival de 2012 com toda a certeza.

Devido ao sucesso da edição inaugural de 2011 do outro lado do Atlântico que repercutiu mundialmente, devido a adesão em massa, não só de norte americanos, como gente do mundo todo, os norte americanos perceberam um novo filão de mercado a ser devidamente explorado e certamente havia demanda reprimida.

E já foram criados para o fim de 2011 cruzeiro marítimo do Kiss (Gene Simmons não dorme em serviço) e que esta indo para a segunda edição este ano no final de Outubro (Kisskruize2) e em seguida sai o do Lynyrd Skynyrd.

Para se ter uma idéia do boom deste tipo de evento. Em fevereiro saiu o Monsters od Rock Cruise, cujo mestre de cerimônias, foi nada mais nada menos que Eddie Trunk e o escopo do mesmo é contar com bandas de hard rock, principalmente americanas dos anos 80. Este cruzeiro esta confirmado e terá sua edição em 2013.

E não pense que não ha para todos os gostos, os mesmos idealizadores do 70.000 Tons of Metal, lançaram para este ano o Barge to Hell que carinhosamente apelidei de “cruzeiro do inferno”, o qual conta com um cast de respeito referente ao metal extremo.

Enfim, há para todos os gostos, dentro do universo do metal.

Devido ao estrondo do outro lado do Atlântico, os organizadores do Wacken Open Air lançaram o Full Metal Cruise, que mesmo só com a confirmação inicial da Doro já obteve uma excepcional resposta em termos de vendas iniciais e o advento deste empreendimento no lado europeu do Atlântico será responsável pelo surgimento de outros concorrentes e isso será muito bom, pois teremos assim como em terra, escolher os melhores festivais na água também.

Para encerrar, é claro que há vantagens e desvantagens em festivais temáticos em cruzeiro e embora esteja prestes a ter a minha primeira experiência, baseio me na lógica e bom senso, bem como depoimentos de quem já teve o prazer de realizar esta aventura.

O já consagrado 70.000 Tons of Metal que esta indo para sua 3a edição em 2013 e contou com ingressos esgotados nas 2 edições ja ocorridas.

Vantagens:

– Contato com as bandas: talvez exceto no cruzeiro do Kiss e do Lynyrd que as bandas citadas  não devem estar circulando livremente no meio do povo, isso é muito comum nos demais cruzeiros, inclusive os próprios organizadores o encoraja a levar memorabilia para autógrafos e ir aos Meet and Greet. Você terá a oportunidade de ver um artista brincando no karaoke e cantando as vezes algo inesperado ou não.

– Turismo: não é só shows, a proposta é levá-los para destinos turísticos excepcionais, como um cruzeiro comum. E talvez seja a única oportunidade. É aliar a fome com a vontade de comer. E fora que nada impede de você esticar sua estadia em outro lugar para fazer valer o teu dinheiro e investimento.

– Shows: em geral, as bandas fazem 2 sets e isso significa que algumas podem tocar ou musicas diferentes ou ainda 2 shows totalmente distintos.

– Infraestrutura e outras opções de entretenimento: não tem nada melhor que você usufruir de instalações e facilidades para recreação, pratica de esportes, relaxamento, jogos, etc. Um cruzeiro não se restringe somente a cabine com cama e banheiro, restaurantes, deck com solarium. Há muito mais envolvido: piscinas, quadras para pratica de esportes, cassinos, spa, bares, lojas e duty free shoppings. E nada melhor e mais conveniente que ir pra cama quando bem entender ou ainda utilizar seu próprio banheiro. Você não fica amarrado e a merce do dia todo dum festival tradicional, quando somente após o termino da programação ou quando sair, poderá ir ao conforto do hotel ou acomodação. Ah, e não se esqueça, que tudo é tão bem planejado que você pode inclusive levar crianças pequenas que terão o que fazer e onde brincar.

– Acessibilidade: a maioria dos cruzeiros partem de Miami e alguns de Fort Lauderdale na Florida. Os aeroportos das cidades supracitadas não se encontram longe da cidade e porto adjacentes. Ou seja, você pode tranquilamente ir a um cruzeiro saindo de Miami, com chegada de vôo no aeroporto de Ft Lauderdale que se encontra a 24 milhas de distancia do porto como também o inverso que é também a uma distancia razoável. Da mesma forma, os cruzeiros da Europa até o momento estão saindo de Hamburgo e Estocolmo, e mesmo não havendo vôos diretos desde o Brasil, com apenas uma única conexão se chega as tais cidades, desde que a partida seja duma cidade com vôo direto para a Europa. Bem tranqüilo!

– Compras: isso não se aplica a todos, eu sei, mas aos mais consumistas, os cruzeiros de Miami permitem uma passada na cidade visando efetuar compras de tudo quanto é coisa, afinal, o local é conhecido não é hoje devido a presença maciça de brasileiros ávidos pelos preços dos produtos oferecidos.

Desvantagens:

– Preço: sim, eu sei bem o quanto é caro. Normalmente os cruzeiros americanos oferecem cabines sem janelas, no interior do navio, que são as mais baratas, a partir de cerca de 950 dólares por pessoa. O cruzeiro do Wacken custa a partir de 1298 euros a cabine para ocupação dupla, por pessoa. Isso pode ser amenizado, pois alguns permitem pagamentos em ate 4x, sem juros ou desconto de 5% para quem pagar a vista.

– Custos para chegar ate o local de partida do cruzeiro: também há vôos intercontinentais envolvidos que se somam ao custo do cruzeiro propriamente dito, alem de taxi, aluguel de carro ou van compartilhada para chegar e voltar do porto.

– Outros custos dentro do cruzeiro: embora os pacotes sejam do tipo “All Inclusive”, os navios americanos restringem mais coisas ainda que os europeus, e até mesmo refrigerantes são cobrados a parte, assim como as bebidas alcoólicas. Somente café, chás, sucos estão incluídos no pacote. A Internet e chamadas telefônicas, seja com o próprio celular, são também cobradas a parte. Não é preciso dizer que para jogar no cassino, alguns restaurantes descritos no programa, compra de merchandise do evento, despesas medicas isso também corre por conta e a parte do passageiro. Eventualmente ha gorjetas e o serviço de quarto a partir de um determinado horário que pode ser extra e cobrado a mais, leia o contrato e observe estes detalhes para não ser pego de surpresa e ter um ataque cardíaco ao ver a conta.

– Lugares limitados e restritos: não bastasse os custos envolvidos, ainda ha uma outra briga, a corrida pra assegurar ou as cabines mais baratas ou as mais luxuosas, dependendo do gosto do cliente. Tenha em mente uma coisa em comum entre elas: o primeiro. que chegar, pega! É na base do “first come, first served”. Fora que a limitação dum barco é de 2000 passageiros em geral, só que este numero pode diminuir sensivelmente, explico: os preços são cotados sempre a partir de cabines duplas, e se você quiser uma para uso individual e você pode, tem todo o direito de escolher, você paga 2x por isso, e por contrapartida, um passageiro a menos terá direito a um lugar no barco. Outro agravante, embora seja justo: Festivais como 70.000 Tons dão o direito de preferência a pré venda a aqueles que já prestigiaram o evento anteriormente, dai, não é surpresa encontrar cabines já esgotadas da categoria desejada.

– Saúde: Não se recomenda ir a um cruzeiro e passar no mínimo 4 dias, que é a duração estipulada, a aqueles que sofrem problemas de enjôos com o movimento do navio no mar e também a aqueles que tenham claustrofobia, pois as cabines menores são pequenas, na ordem de 11 metros quadrados de área total, incluindo o banheiro. O serviço médico é cobrado a parte em caso de necessidade e é necessário que o viajante se encontre em boa condição de saúde.

Vistos e Burocracia: isso se aplica aos EUA. Para ingressar la, todos brasileiros necessitam de vistos, cujo processo é nada ágil e requer atualmente 2 visitas, uma no centro recém criado para dar entrada ao processo e após a entrevista no consulado e fora que não há consulados as vezes próximos de todas as localidades e as mesmas repartições atendem determinadas jurisdições que devem ser respeitadas e não se pode escolher onde emitir o visto, ou seja, por qual consulado. Fora as 2 viagens para quem vem de fora, ha custo para emissão do visto americano. Isso pode desanimar e inibir alguns a encarar estes eventos, devido a burocracia. Isso já não se aplica na Europa, pois não há exigência de vistos a brasileiros fazendo turismo.

Não tem nada melhor que você usufruir de instalações e facilidades para recreação, pratica de esportes, relaxamento, jogos, etc.

Para encerrar, o que você, leitor, acha disso? Não estaria mais que na hora de um cruzeiro similar desta magnitude sair do Brasil, apesar de já ter tido uma edição de algum Motoclube com cast focado no Rock? Já pensou um festival de metal em alto mar partindo de Santos com destino a Buenos Aires e parada em Punta del Este e Montevideo ou ainda rumo a Bahia ( Ilheus ou Porto Seguro)? Fazendo direito, acho que rola, sim, tem publico e com cacife para isso. Faz com 10 atrações nacionais relevantes e 10 internacionais, envolvendo um grande nome que não é possível dar menos de 2000 pessoas dispostas a pagar por esta oportunidade.

Até a próxima!

*Este texto foi elaborado por um Wikimate e não necessariamente representa as opiniões dos autores do site.

Clique aqui para ver os outros textos do WikiBrother Gilberto Morais.

Categorias: Opinião

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *