O baixista teve que abrir mão da propriedade do Megadeth “para manter amizades”

O lendário baixista David Ellefson irá lançar o segundo livro de memórias este ano. Em More Life With Deth, ele revela o motivo pra não ter voltado ao Megadeth em 2004. Ellefson não seria mais um igual, um co-fundador e dono da banda. Quinze anos depois, ele continua sendo um assalariado.

“Desde o começo, eu sempre fui um dono por igual. Quando Dave [Mustaine] separou o grupo em 2002, deixamos nossos negócios intactos. Quando voltou em 2004, nossas divergências foram muito sobre a participação na propriedade do grupo”, explicou.

“Não vou mentir; de ser um dono e co-fundador para virar apenas um músico de apoio foi inicialmente o motivo de eu não voltar em 2004. Eu não estava feliz com as participações que foram apresentadas para mim. Nos últimos tempos, olhando para trás, eu fui muito feliz ao fazer música com muitas outras pessoas em outras situações que me ajudaram a me apaixonar por tocar”, disse. “Agora eu posso voltar ou entrar em situações musicais e fazer isso por um propósito e um certo nível de pagamento. Ser um apoio te absolve de estar envolvido em todas as outras coisas. Neste momento da minha vida, eu prefiro deixar essas coisas de lado. Como a American Express diz, ‘A associação tem seus privilégios’, ser um parceiro tem seus benefícios. No meu caso, ajuda a manter uma amizade também. Para ter uma amizade, tive que desistir de alguma propriedade”.

LEIA TAMBÉM: David Ellefson anuncia disco solo com participação de John Bush, Bumblefoot e mais

Confira mais notícias sobre: