Jeffrey Phillip Wielandt nasceu no dia 14 de janeiro de 1967. Mundialmente conhecido como Zakk Wylde, o guitarrista foi o responsável por dar vida a uma série de músicas de diferentes grupos e projetos.

Natural de Bayonne, Nova Jersey, o músico iniciou cedo sua história dentro do mundo da música. Seu primeiro contato com a guitarra, instrumento que viria a dominar, aconteceu aos oito anos de idade.

No início, ele tocava em locais pequenos com bandas nada conhecidas e seu primeiro grande trabalho, e que viria também a ser um de seus principais, aconteceu em 1987.

Ele passou a fazer parte da banda de apoio de Ozzy Osbourne, mas foram poucos os anos em que Wylde participou do grupo entre o final da década de 1980 e 1990, uma vez que o Madman anunciou sua que queria se aposentar pouco tempo depois.

Neste meio tempo, o projeto de curta duração, Pride & Glory, tomou forma e trazia em seu line-up o atual baixista do Megadeth, James LoMenzo e o baterista Greg D’Angelo, ambos da banda de hard rock White Lion.

Em 1994, lançaram seu único álbum, auto-intitulado, com a banda se desfazendo no mesmo ano.

O encerramento da carreira de Osbourne não aconteceu, e em 1995, fez parte o álbum Ozzmosis, mas é necessário admitir que o trabalho de maior sucesso fruto da colaboração Wylde e Osbourne é o registro No More Tears, lançado em 1992.

Após este lançamento, Joe Holmes passou a assumir o cargo anteriormente de Wylde.

Foi apenas em 2007 que o mesmo voltou a ser creditado nos trabalhos do Príncipe das Trevas, desta vez, com o álbum Black Rain. Seu trabalho mais recente com o vocalista é Patient Number 9, de 2022.

O guitarrista também chegou perto de integrar o Guns N’ Roses. O cenário para a banda não era dos melhores, com brigas entre os integrantes e trocas de membros.

Em 1995, ele recebeu um telefonem de Axl Rose convidando-o para tocar com eles e fazer alguns ensaios, mas a oportunidade acabou por não se concretizar.

Mudando por completo com relação a o que vinha fazendo enquanto trabalhava com Ozzy Osbourne, ele lançou, em 1996, seu trabalho solo, intitulado Book Of Shadows.

O período em que esteve fora da banda de apoio de Ozzy Osbourne não foi desperdiçado. Zakk Wylde, em 1999, fundou outro de seus principais trabalhos, o Black Label Society, banda esta que está na ativa há mais de vinte anos.

Atualmente contando com seu líder nos vocais, guitarra e piano, John (JD) DeServio no baixo, Jeff Fabb na bateria e Dario Lorina na guitarra rítmica, o grupo tem uma vasta discografia.

Em 2022, o Pantera anunciou uma turnê de reunião em tributo à Vinnie Paul Dimebag Darrell. Mesmo que não tenha sido a primeira opção a ser considerada para ocupar a vaga, Zakk Wylde tornou-se o guitarrista do projeto, com quem veio ao Brasil no mesmo ano, para a primeira edição do Knotfest Brasil.

Além dele, a banda é, atualmente, formada por Philip Anselmo (vocal) e Rex Brown (baixo) e Charlie Benante (bateria).

Ele ainda afirmou que não planejam gravar novas músicas. Sobre o tema, o guitarrista explicou em uma entrevista à Loudwire: “Obviamente, se algum dia fizéssemos alguma coisa, seria com um nome diferente, você sabe o que quero dizer. Como Jimmy Page tocando com Paul Rodgers, são The Firm. Eles não vão sair como o Led Zeppelin.”

Em junho de 2024, o guitarrista volta ao Brasil para performances no festival Best Of Blues And Rock. Com edições no Rio de Janeiro, em São Paulo, Curitiba e Belo Horizonte, os ingressos já estão disponíveis no site da Eventim.

Ele traz seu projeto Zakk Sabbath, que conta com músicas cover do Black Sabbath, e tem Rob “Blasko” Nicholson no baixo e Joey Castillo na bateria.

Atualmente, o grupo conta com dois álbuns em sua discografia, Vertigo, de 2020 e Doomed Forever Forever Doomed, lançado em 2024.

Zakk Wylde é reconhecidamente um dos maiores músicos dentro da história do metal, marcando a história da música para sempre.

LEIA TAMBÉM: Entrevista Zakk Wylde: inteligência artificial na música, Zakk Sabbath e Brasil

Categorias: Notícias