Apesar de serem considerados como tal há décadas, o Stryper não é, segundo o vocalista Michael Sweet, uma banda cristã.

Em entrevista recente, Sweet esclareceu em que ponto a banda se encontra ao unir o cristianismo dos integrantes e o amor pela música pesada, e apesar das referências bíblicas no nome da grupo e até mesmo nas letras, o vocalista não os considera uma banda cristã.

“Nos últimos anos eu disse algumas – e isso causou uma comoção – que não somos uma banda cristã, e as pessoas não entendem bem, mas nós somos cristãos em uma banda e existe uma diferença,” reflete.

De acordo com Michael Sweet, a diferença é que o Stryper não se criou em uma igreja e sim “nas ruas de Los Angeles” tocando em clubes como o Gazzarri’s, o Troubadour e o Whisky, e só depois disso se tornaram cristãos.

“Nós continuamos fazendo o que sempre fizemos, mas com uma mensagem diferente,” explica. “Não somos de fato uma banda cristão, mas se as pessoas dizem que sim, tudo bem. Eu nos vejo como uma banda de rock que decidiu tomar um caminho diferente.”

LEIA TAMBÉM: Indireta sobre David Ellefson? Michael Sweet, do Stryper, fala que “todos somos pecadores”

Tags:
Categorias: Notícias