Ano passado, o Rage Against the Machine planejava sair no que seria a turnê mais esperada do ano até a pandemia acabar com esses planos. Tim Commerford, baixista do grupo, explicou durante uma entrevista o motivo pelo qual não os veremos ao vivo tão cedo.

Na conversa com o TooFab, o baixista disse que o Rage não irá adaptar seus planos para shows drive-in, como muitos músicos estão fazendo durante a pandemia. Ele explica que fazer uma apresentação sem a interação do público seria como se eles estivessem “se vendendo”.

“Músicos foram chutados para o meio-fio, cara. É estressante para mim, só porque eu olho para Rage e penso, ‘Foda-se, nós contamos com o público’. Você vai aos shows do Rage para ver o público tanto quanto para ver a banda, e nós precisamos disso. Somos uma daquelas bandas que precisa disso.”

Ele continuou: “Nunca seremos um desses vendidos que vão fazer um show drive-in ou em um local que comporta cem mil pessoas e só tem dez mil pessoas lá. Isso é besteira. Rage nunca fará isso. Não é um bom show a menos que o público também esteja agitado. Tem que ser uma experiência compartilhada.”

Commerford finalizou dizendo que ficou desapontado com o cancelamento da turnê pois eles estavam planejando algo inédito para os fãs, sem revelar exatamente o que era. A turnê, por enquanto, está remarcada para o fim desse ano. Veja aqui as datas.

Categorias: Notícias