Uma das maiores polêmicas discutidas na música é o papel de Yoko Ono no fim dos Beatles. Agora, uma nova narrativa vem à luz após o lançamento do documentário The Beatles: Get Back.

Disponível em três episódios no Disney+, a série dirigida por Peter Jackson relembra as tumultuadas gravações de Let It Be (1970), último álbum da banda. Gravações da época que estavam guardadas há 50 anos foram resgatadas para contar a história das sessões de gravações.

Apesar de todos os problemas que surgiram durante as gravações, Yoko Ono estava sempre por lá. Para muitos fãs, a esposa de John Lennon se intrometia nos assuntos relacionados a banda, porém, o documentário mostrou outro lado de Yoko.

Yoko presenciou a gravação, mas pouco opinou, como aponta um artigo do Los Angeles Times. A avaliação deles é justificada pelo fato de Yoko aparecer no documentário entretida em suas próprias atividades enquanto Lennon ficava com a banda. Isso contraria os boatos que existem sobre uma possível interferência dela na dinâmica do grupo, que teria levado os Beatles a se separarem em 1969.

Por outro lado, durante as gravações retratadas no documentário, Paul McCartney reconhece que quando Yoko Ono estava no estúdio, era mais difícil falar com o colega Lennon. Ele diz que o distanciamento entre as duas lideranças criativas do grupo poderia ter causado muitas das desavenças que eles tiveram.

LEIA TAMBÉM: Biografia de Brian Epstein, empresário dos Beatles, tem elenco divulgado

Categorias: Notícias