Texto por Marcelo Pugliese Cezario

No dia 21 de novembro tivemos uma Tempestade de Areia em terras brasileiras – não, não se trata de mais um evento fatídico – que abarcou em Belo Horizonte na forma arrojada do metal nacional buscando com seus incansáveis guerreiros uma maior visibilidade no cenário musical, além de cativar mais o público do hemisfério tropical. 

Apresentamos o conceito e a banda Medjay, formada por Phil Lima (vocal e guitarra), Samuka Vilaça (baixo), Freddy Daniels (guitarra) e Riccardo  Linassi (bateria). Este primeiro álbum, Sandstorm, conta  com oito músicas, sendo sete autorais e um tributo autorizado da banda Iced Earth. O  conceito musical e visual foi desenvolvido juntamente com a mentoria de Rafael  Bittencourt (Angra), que também compôs a música “Rise For Glory”.

Todas as  histórias que serviram de base para construção das letras, foram frutos de um  trabalho minucioso de pesquisa feita pelo historiador da banda e baixista Samuka. O conceito geral do álbum gira em torno do controle da agressividade. Lidar com isso  é um grande dilema na trajetória do guerreiro Medjay e de maneira similar, todos nós seres-humanos, também precisamos controlar essa agressividade para convivermos bem em sociedade, expondo o dilema filosófico de Thomas Hobbes.

Aqui abordo todos os temas do disco, faixa-a-faixa, veja logo abaixo.

1) “Egyptian Beast”

“O homem é lobo do homem”, e esse é o tema que inspira a música de abertura do álbum.

2) “Medjay

Introduz ao público o guerreiro Medjay, que após várias batalhas e mortes, desperta sua “fera interior”, passa a matar por prazer, e a cada batalha  alimenta mais e mais esse ímpeto por derramar sangue.  

3) “Death in The House of Horus

Dando sequência à saga, a música conta uma história que se passa quando Bakari (Medjay) é chamado à casa de Hórus por Hator, deusa do amor. Ele, tomado de ódio e fúria, mata a Deusa e coloca fogo na casa de Hórus.

4) “Revenge Of Horus

Essa é a sequência da história iniciada na terceira faixa, quando Hórus vinga a morte da Deusa Hator punindo o Medjay com um ritual de tortura no qual a pessoa é trancada viva em um sarcófago cheio de Escaravelhos. Nesta música temos a participação da soprano lírico carioca Marília Zangrandi que participou da última turnê com Geoff Tate. 

5) “Rise For Glory

Esta é uma composição em parceria com Rafael Bittencourt e fala do povo guerreiro que dia após dia volta das batalhas com cicatrizes em seus  corpos e suas almas.

6) “Sandstorm

Tempestade de areia é o nome dado há um fenômeno da natureza conhecido como litometeoros e ocorre quando a umidade relativa do ar é mais baixa que 80%. No álbum esse fenômeno nos serviu de inspiração para retratar uma das maiores revoluções da história em 2011, conhecida como “Primavera Árabe”.

A revolução no campo político do mundo árabe foi como uma tempestade de areia que varreu do poder a “tirania”, iniciando uma nova perspectiva de liberdade e justiça social, por isso o nome da música e título do álbum uma homenagem à marcha do povo Egípcio a “AlMidan” ou à praça Tahrir do Cairo. A praça se tornou um símbolo  de luta e resistência, pois ali deu início a marcha da vitória dos “Medjay”.

7) “Lady of the Nile

Uma balada que não podia faltar num álbum de power metal. Nesta letra conduzimos Bakari (sua mente ou espírito após a tortura de Hórus) ao encontro de Nefertiti às margens do Rio Nilo, onde se apaixona pela sua beleza sem  igual. Teria ele encontrado redenção? Nefertitit foi interpretada por May “Undead”  Puertas, vocalista do Torture Squad. 

8) “Violate”

Por fim, nossa homenagem à banda Iced Earth traz a música “Violate”,  também com participação da vocalista May “Undead”. Essa música representa o momento de fúria aguda do guerreiro infernal (Spaw), paralelo que fazemos com sofrimento e fúria do Medjay Bakari quando Hórus o condena à punição do Escaravelho.

Ouça o disco na íntegra logo abaixo.

*Este texto foi elaborado por um Wikimate e não necessariamente representa as opiniões dos autores do site.

Tags:
Categorias: Notícias Opinião