Depois dos comentários de Max Cavalera sobre Marc Rizzo estar dizendo “mentiras e besteiras” que seriam fruto de sua “mente doida”, Rizzo voltou a comentar sua saída do Soulfly, dizendo que Cavalera pode “dizer o que quiser” e que ele vem “fazendo isso há anos” com os membros do Sepultura e antigos integrantes do próprio Soulfly.

Em nova entrevista para a Aftershocks TV, Marc Rizzo voltou a repetir que não estava feliz na banda de Max Cavalera e que chegou à conclusão de que estar no Soulfly “não valia mais” o seu tempo [transcrição via Blabbermouth]. “Sempre tive muito amor e respeito pelo Max, mas os últimos anos têm sido difíceis. Não é segredo que ele não está realmente tocando guitarra no palco, pelo menos não no nível em que deveria estar tocando. Os fãs têm falado sobre isso há anos. Está claro que as pessoas não estão felizes e eu também não estava, como fã e como membro da banda,” comentou Rizzo.

“Seja o que for que o Max esteja falando na imprensa, ele pode dizer o que dizer. Ele tem feito esse tipo de coisa há anos com o Sepultura e com antigos integrantes do Soulfly. Os fãs sabem quem eu sou. Eu bato papo com todos os fãs. Sou muito, muito acessível depois de todos os shows. Não é grande coisa. São águas passadas para mim,” concluiu o guitarrista.

Marc Rizzo disse ainda que o Soulfly não tinha o hábito de realizar pagamentos adiantados e que era costume da banda decidir passar meses longe do trabalho sem aviso prévio. “Trabalho no meu projeto solo desde 2005 ou 2006 e foi isso que me sustentou entre as turnês do Soulfly e do Cavalera Conspiracy,” comentou. “Sou muito grato aos fãs que sempre me apoiaram e vieram aos meus shows solo.”

LEIA TAMBÉM: Marc Rizzo revela que aprendeu solos de Andreas Kisser de ouvido: “Ele é um dos meus guitarristas favoritos”

Categorias: Notícias