Gostaria de agradecer a todos os fãs e amigos que estiveram conosco nesta tour. Não só por terem ido aos shows, mas por manterem o Viper como uma das maiores bandas de Heavy Metal do Brasil.”

Como preparação ao show de encerramento da turnê do Viper, nós entrevistamos cada um dos membros da banda para saber o que acharam e o que podemos esperar desse último encontro. Quem responde nossas perguntas agora é Guilherme Martin!

WM: Como todos nós sabemos, esse realmente será o último show da To Live Again Tour. Mas o que os fãs realmente querem saber é, será o último show do Viper?
GM: Eu gostaria muito que não fosse o último, foram dias incríveis, convivendo com amigos, e revivemos um trabalho que foi muito importante, seja para nossas vidas assim como a grande contribuição que o Viper teve na música Heavy Metal do Brasil e do mundo. O show do dia 2/12 representará o fim de um trabalho muito bem sucedido de um ano inteiro que foi a To Live Again Tour, reunimos a banda e demos aos nossos fãs sejam eles novos ou antigos, a oportunidade de rever a banda que foi responsável por um estilo! Confesso que em muitos momentos me emocionei diante da platéia apenas por saber que este trabalho de mais de 25 anos realmente marcou uma época e ainda tem o reconhecimento merecido!

WM: Qual foi, pra você, o ponto alto dessa série de 25 shows?
GM: Tenho muitos pontos que poderia me referir, um deles foi nosso primeiro encontro, na casa do Felipe, fomos todos nos reencontrar depois de anos, conversar e decidir com seria esta volta, foi uma sensação muito boa, estar entre amigos novamente. Demos risada, lembramos de muita coisa do passado, o Yves participou desta conversa e decidimos então ir para estúdio ensaiar umas músicas que há pelo menos 20 não tinham mais sido executadas. Foi para nós também um desafio e profissional de verdade. Tudo fluiu muito naturalmente, fomos evoluindo a cada ensaio e todos nós nos dedicando muito! Outro ponto inesquecível para mim , foi o show em São Paulo no dia 1/7 no Via Marquês. Tivemos a casa cheia de fãs e amigos para ver o Viper, foi simplesmente um dia que me lembrarei para sempre!

WM: O que você diria para os fãs que viajaram KMs para ver o show da banda e para aqueles que viajaram KMs para ver vários shows?
GM: Foi demais isto, me lembro que em alguns shows haviam pessoas de estados completamente opostos aonde estávamos tocando e que fizeram o maior esforço para ir nos ver! Gostaria de agradecer de coração a todos os fãs e amigos que estiveram conosco nesta tour e não só por terem comparecido aos nossos shows mas sim por sempre manter o Viper como uma das maiores bandas de Heavy Metal do Brasil.

WM: Qual foi a maior lição e aprendizado que você leva dessa tour?
GM: A grande lição é acreditar no que você fez durante sua vida toda! O Viper mostrou como um trabalho de anos de cada um de nós ainda se manteve importante para tanta gente! E outra lição é de que o Heavy no Brasil é muito forte e poderoso, e com esta tour mostramos que temos sempre que levantar essa bandeira deste estilo de música que é apaixonante!

WM: O que você acha que teria acontecido com o Viper se o Andre não tivesse saído depois daquele show no Dama Xoc em SP há tantos anos atrás?
GM: Esta é uma boa pergunta e difícil de responder! Naquela época , quando o André saiu da banda , claro procuramos um substituto à altura, pois o Andre, além de ser um grande vocalista tinha um carisma monstruoso e empatia com os fãs. Me lembro até de alguns testes e nomes para substituí-lo. Mas a idéia de por o Pit como vocalista e front man foi uma grande sacada do Viper, a voz do Pit é muito diferente da do Andre, mas o Pit também tem um carisma muito forte, então o Viper não foi descaracterizado e fez um excelente álbum que foi o Evolution, assim como o André que seguiu sua carreira, com várias bandas e projetos de muito sucesso!

WM: Um dos maiores sucessos do Viper, o excelente disco Evolution, foi lançado há exatamente 20 anos. Os fãs podem esperar algum tipo de celebração para comemorar esse grande marco e esse grande disco?
GM: Como foi dito anteriormente, é claro que temos idéias para um futuro com o Viper, no momento nossas atenções estão voltadas para os shows que estão por vir e para o lançamento do DVD da tour! Mas é claro que o Evolution merece também uma homenagem a altura!!

WM: Em 2013 já foi anunciado o lançamento do DVD e do CD duplo Live in São Paulo. Como estão os preparativos para esse grande lançamento? O Viper prepara algo especial para essa ocasião?
GM: O DVD está sendo terminado e editado, teve a produção do Maurício Eça no vídeo e de meu irmão Mauricio Cersosimo no áudio, este DVD é o resultado de uma parceria muito bem sucedida entre o Viper e o Wikimetal, que merecem um grande crédito também no sucesso desta tour! É claro que faremos um barulho para a época do lançamento do DVD, ainda não sabemos como, mas como foi nesta tour, teremos surpresas boas a serem anunciadas!

WM: Vocês vão realizar algum tipo de gravação no show The Farewell Concert em SP no dia 2 de dezembro para o DVD Live in São Paulo?
GM: Ainda não tenho certeza se faremos algum material extra, seria legal ter a Evolution gravada também, já que decidimos começar a tocá-la da segunda parte da tour em diante.

WM: A To Live Again Tour foi uma tournée diferente, marcada pela emoção. Ficava claro para os fãs que viram o show, como a banda estava se divertindo no palco e como vocês continuam amigos depois de tantos anos. Qual o ou os pontos do show que mais te emocionavam?
GM: Neste ponto eu reafirmo, foi muito natural, realmente antes de existir banda sempre fomos amigos. O Viper, no meu caso, foi uma marco apesar de não ter gravado ainda com a banda, fui um dos responsáveis pelas duas voltas da banda a de 2000 e a de agora. Participei de todas as formações do Viper. Minha banda Toyshop tem o Val, que sempre acompanhou a banda, seja como músico, amigo e parte da equipe, o Gabriel foi roadie do Viper na época do Evolution, e como todos sabem o Nando que é também baixista do Toyshop é irmão do Felipe. Até minha esposa Natacha eu conheci em um show do Viper no teatro Mars, ainda com o Renato Graccia na bateria! Além de conviver com os velhos amigos, tivemos o prazer de poder conviver com o Hugo Mariutti que entrou no lugar do Yves que tem uma agenda mito intensa com o capital Inicial. O Hugo, que chegou mais tarde no time, foi com certeza um dos meus novos melhores amigos! Além de um músico fantástico é um cara que sempre gostarei de ter perto! O Andre eu voltei a conviver e também me surpreendeu muito, é um cara que está sempre presente, tem uma postura artística invejável, um grande amigo que gostaria de sempre tê-lo como frontman de minhas bandas e como um grande amigo também. Fica eu, o Felipe, e o Pit que convivemos muito os três por boa parte da vida, são como irmãos e sempre levarei este sentimento de gratidão por terem me chamado para me juntar a esta banda!!

WM: A To Live Again Tour vai deixar saudades?
GM: Vai e muita! Mas acho legal todos terem outros projetos, o disco novo do André está maravilhoso e ele se dedicou muito a este projeto, então é a hora dele divulgar este trabalho. O Hugo além de ser o guitarrista de todos os projetos do André tem o Remove Silence, que é uma banda muito boa e que considero como uma grande revelação. Eu tenho o Toyshop , que pretendo lançar até o ano que vem um novo álbum. O Felipe tem sua carreira como jornalista, fora isto participou nada mais nada menos, que da banda do Paul Di’anno, sem dúvida um grande músico. O Pit , todos nós sabemos o quanto ele é talentoso para compor, com certeza neste momento deve ter umas 50 músicas maravilhosas no arquivo dele!
Espero que a tour deixe uma saudades boa , para todos nós e que seja breve!!

WM: Deixe um recado para os fãs do Viper que pedem insistentemente para que a banda não termine depois dessa tour.
GM: Obrigado a todos vocês que fizeram desta tour de reunião do Viper um sucesso! O futuro do Viper ainda tem muito a ser escrito, vamos fechar apenas este capítulo de nossa história! Com certeza ainda teremos a oportunidade de retribuir novamente toda esta atenção e carinho que todos vem tendo conosco nestes 25 anos de estrada!
Fica meu agradecimento pessoal, ao Wikimetal Dani Dystyler, Nando e Rafa e meus queridos bandmates: Andre, Hugo, Falipe e Pit.

O show de encerramento da turnê do VIPER acontece dia 02.12 no Via Marquês. Ingressos à venda na Ticket Brasil.

Tags:
Categorias: Entrevistas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *