A apresentação aconteceu na última quarta-feira, 28

Ontem tive o grande prazer de assistir ao primeiro dia da série de shows solo que o vocalista do Pearl Jam está fazendo em SP. Logo na entrada de um Citibank Hall esgotado, o segurança já avisa: Será proibido o uso de celulares durante o show. Sério? Será que o público vai obedecer?

Ao sentar no meu lugar marcado percebo a presença de vários seguranças espalhados pela pista, exatamente para não permitir que o show seja fotografado e filmado. E deu certo! A abertura ficou a cargo do irlandês Glen Hansard, velho conhecido do público brasileiro e amigão do Eddie Vedder há anos. Glen era o guitarrista da banda The Commitments no maravilhoso filme dirigido por Alan Parker e lançado em 1991. Há alguns anos ele estrelou o excelente filme independente ONCE onde atuou fazendo papel dele mesmo, e cantando suas incríveis canções, ele acabou formando a banda/dupla The Swell Season com a outra protagonista do filme, a cantora e pianista Marketa Irglova. Os dois vieram ao Brasil em 2010, lembro que fizeram um show sensacional.

Eddie Vedder entra no palco e o público vem abaixo, e começam os gritos do público pedindo músicas e mandando recados (que chatice), Eddie parece não se importar. Ele começa o show com a nova “Share The Light”, a única que toca ao piano, depois senta no seu banquinho onde passa a maior parte do show alternando seus instrumentos entre guitarras, violões, violões de 12 cordas, ukeleles, bandolins e goles numa garrafa de vinho.

Eddie esbanja simpatia, arrisca ler frases longas em português, brinca com o público, chama um fã ao palco, distribui palhetas, toca algumas versões, algumas músicas do Pearl Jam, algumas dos seus dois discos solo. Lembra dos heróis e amigos que ele perdeu nos últimos anos e lembra que todos estão juntos, em espírito naquele momento: “Spirits get in for free” (“Espíritos entram de graça”), ele brinca.

Um dos momentos mais emocionantes é quando ele faz a versão de um dos seus heróis, Tom Petty para “Wildflowers”, “Ainda não consigo acreditar que ele se foi”. Depois toca uma versão “a la” Johnny Cash de “Hurt”, e lembra que o compositor dessa música (Trent Reznor do Nine Inch Nails) segue vivo e forte.

A impressão é que Eddie Vedder está cada vez melhor, cantando e tocando cada vez mais, e sua interpretação e voz esbanjam emoção. De vez em quando ele erra, e ri, o público vai ao delírio. Não menos emocionante é quando ele toca “Imagine” de John Lennon, aí ele autoriza que todos ergam e acendam as lanternas dos seus celulares. “Bad” do U2 também ficou linda na sua voz. A versão de “Masters of War” de Bob Dylan também é emocionante; um claro recado ao presidente do EUA, Donald Trump.

O show termina com uma jam com o amigo Glen Hansard que ele apresenta como um de seus melhores amigos e um dos mais talentosos artistas da atualidade, tudo verdade. Os dois cantam a maravilhosa “Slepless Nights” dos Everly Brothers, sem microfones e sem amplificadores, arrepia. Na última, o sucesso da trilha de Into The Wild, “Hard Sun”, as luzes se acendem, todo mundo levanta e parece que nesse momento usar o celular para fotografar e fazer vídeos está liberado.

O show foi fantástico, mas o melhor do show foi poder ver um espetáculo sem celulares atrapalhando, sem aquela luzinha chata acendendo na nossa cara quando estamos tentando nos concentrar no artista, (e que artista!) Impressionante como isso muda a nossa percepção da apresentação. Todos os concertos do mundo deveriam ser assim, sem celulares (Jack White está tentando). É muito melhor guardar esses momentos na memória do que em vídeos toscos, tudo bem em algum momento tirar uma fotinho pra guardar de lembrança, sem problema, mas sem exageros por favor, (selfie com o artista como pano de fundo é umas coisas mais ridículas, ainda bem que não vi ninguém pagando esse mico).

Com isso o show ficou muito mais leve e agradável, e as pessoas realmente prestaram atenção no que interessa, na música.

Setlist Eddie Vedder no Citibank Hall (28/03)

1. Share the Light
2. Walking the Cow (Daniel Johnston cover)
3. Long Road (Pearl Jam)
4. Brain Damage (Pink Floyd cover)
5. Keep Me in Your Heart (Warren Zevon cover)
6. I Am Mine (Pearl Jam)
7. Wildflowers (Tom Petty cover)
8. Just Breathe (Pearl Jam)
9. Sometimes (Pearl Jam)
10. Without You
11. Far Behind
12. Guaranteed
13. Millworker (James Taylor cover)
14. Rise
15. Hurt (Nine Inch Nails cover)
16. Wishlist (Pearl Jam)
17. Light Years (Pearl Jam)
18. Crazy Mary (Victoria Williams cover)
19. Bad (U2 cover)
20. Immortality (Pearl Jam)
21. Masters of War (Bob Dylan cover)
22. Imagine (John Lennon cover)
23. Porch (Pearl Jam)
BIS:
24. Sleepless Nights (The Everly Brothers cover) (com Glen Hansard)
25. Society (Jerry Hannan cover) (com Glen Hansard)
26. Should I Stay or Should I Go (The Clash cover)
27. Hard Sun (Indio cover)

Fotos por: Rogerio Grassia

Categorias: Notícias Resenhas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *