Texto escrito pelo Wikibrother Lucas David

O rock sempre foi um assunto que apresentou bastante material para os apreciadores e curiosos. Além dos álbuns, das capas e dos encartes, existem muitos documentários e ultimamente, no Brasil, tivemos um grande aumento no lançamento de biografias, sejam de bandas ou de artistas. 

Livros de Rob Halford, K. K. Downing, Chuck Schuldiner e Death, Ronnie James Dio, para citar alguns, chegam ao país em edições mais do que especiais e podemos notar como isso é importante para os amantes do gênero.

É difícil encontrar um roqueiro que não saiba em qual ano a banda gravou o disco, quais as músicas presentes, nomes dos integrantes, o produtor e as histórias de bastidores que ajudaram a formar álbuns clássicos. A importância das histórias para o público é grande, já que muitos desses artistas ajudaram a definir estilos que conhecemos hoje, seja no Heavy Metal (Dio, Judas Priest, Iron Maiden), no Death Metal (Death e Cannibal Corpse) ou no Black Metal (Mayhem e as bandas presentes no livro Lords of Chaos) e manter essa história viva é o que faz os estilos serem conhecidos e celebrados até hoje.

É claro que comprar e ler esses materiais não é algo obrigatório, já que cada pessoa tem sua forma de absorver conteúdos diversos, mas é um pouco difícil não se interessar pela história da pessoa, como foi sua formação até chegar ao sucesso, a formação da banda e gravação das músicas, como foram enfrentados os problemas durante a carreira e fases de baixa nas vendas, os problemas com drogas e álcool e, enfim, como muitos sobreviveram e estão na ativa até hoje, ainda fazendo turnês mundiais.

Um dos grandes exemplos é Ozzy Osbourne, que lançou os livros Eu Sou Ozzy e Confie Em Mim, Eu Sou O Dr. Ozzy: Conselhos Do Maior Sobrevivente Do Rock. Aqueles que conhecem suas histórias sabem que o Madman já passou por muitos problemas, alguns próximos à morte, mas ainda tem forças para continuar compondo e fazendo turnês. Mesmo que as últimas tenham sido canceladas, muitos esperam vê-lo novamente nos palcos.

LEIA TAMBÉM: Editora lança clube de livros para quem é apaixonado por música; saiba mais

Segue abaixo uma pequena lista com indicações de livros e biografias (além das citadas acima):

Lords of Chaos É o primeiro livro a ser lembrado quando se pensa no true norwegian black metal. É um marco inescapável da história do gênero, tanto quanto o De Mysteriis Dom Sathanas, do Mayhem, a queima da igreja de Fantoft ou a famosa foto de Varg com uma clava viking. Qualquer estudo sério sobre black metal atualmente deveria passar por este livro, seja em afirmação ou negação, e qualquer um que se interesse pelo assunto certamente tem muito a aprender com o impressionante volume de entrevistas, fotos, documentos e matérias jornalísticas acumulado por Moynihan e Søderlind. Segundo os autores, “aqui, o sangue, o fogo e a música foram ingredientes voláteis que serviram de combustível para uma explosão alquímica que continua a reverberar alto na cultura apocalíptica do mundo moderno”.

Lords of Chaos
Livro ‘Lords of Chaos’. Créditos: Reprodução/Capa

Iron Man: Minha jornada pelo céu e pelo inferno com o Black Sabbath A história definitiva do pai fundador do heavy metal, Tony Iommi. Com o Black Sabbath, ele construiu o alicerce de onde toda música pesada se origina. Nas palavras de Eddie Van Halen: “Ele é o criador do peso. Ele pegou o rock ‘n’ roll e o transformou em heavy metal”. Com capítulos curtos essa autobiografia cobre todas as fases da vida do artista. A infância em Birmingham, a descoberta da música, o acidente que mudou sua vida e todas as conquistas e loucuras que vieram depois, quando o Sabbath imprimiu seu nome no panteão dos grandes nomes do rock.

Death By Metal: A história de Chuck Schuldiner Livro que conta toda a história do criador de um dos estilos mais brutais dentro do rock, o Death Metal. Graças a Chuck, com o passar dos anos o DEATH se tornou uma complexa máquina de guerra. Longe dos estereótipos e clichês da corrente musical que a banda ajudou a criar, a banda elevou a própria ideia de heavy metal a um nível superior que poucos ousaram tocar. Traçando os eventos mais importantes da vida e carreira de Chuck, extraindo detalhes daqueles que o conheciam de perto e examinando todos os seus álbuns do ponto de vista musical e lírico, este livro celebra a vida e obra de um grande artista, cuja contribuição tem importância seminal na história do heavy metal.

Rainbow In The Dark: A autobiografia de Ronnie James Dio É um testamento franco, surpreendente, muitas vezes hilário, às vezes triste, de dedicação e ambição, repleto de comoventes anedotas, gloriosas histórias de excessos e sinceras recordações do que realmente aconteceu nos bastidores da história de um dos músicos mais conhecidos e celebrados de todos os tempos.

'Rainbow in the DDark', autobiografia de Ronnie James Di
‘Rainbow in the DDark’, autobiografia de Ronnie James Dio. Crédito: Divulgação/Editora Estética Torta

Esses materiais ajudam a expandir o conhecimento e dar uma “bagagem” além da música. Mostram também para a sociedade e aqueles que rejeitam os estilos pela “barulheira” que é possível se aprofundar e fazer com que a paixão aumente e, como dito anteriormente, mantenha viva a história desse movimento mundial.

Fica a menção à biografia do Slayer, chamada O Reino Sangrento do Slayer, que será lançada no dia 30 de setembro com ium apêndice cobrindo os últimos anos da banda até 2019, além de um capítulo especial sobre o guitarrista Jeff Hanneman, e também ao próximo lançamento da editora Estética Torta: Nöthin’ But a Good Time: A História Completa e Sem Censura do Hard Rock Anos 80.

*Este texto foi elaborado por um Wikimate e não necessariamente representa as opiniões dos autores do site.

Quer ter seu texto publicado no Wikimetal? Mande um e-mail para [email protected]

LEIA TAMBÉM: A comunidade LGBT+ e sua representatividade no rock