O guitarrista também falou sobre o momento em que conheceu Myles Kennedy

Desde a reunião com o Guns N’ Roses, Slash tem estado longe da mídia, fazendo poucas entrevistas e revelando quase nada sobre o novo relacionamento com Axl Rose e seus colegas.

O quase silêncio foi quebrado esta semana quando o guitarrista conversou com a revista americana Rolling Stone. Durante a entrevista, Slash falou sobre seu tempo com o Velvet Revolver, banda da qual fez parte ao lado de Scott Weiland – de quem ele falou pela primeira vez desde a morte do músico em dezembro de 2015 -, Dave Kushner, Matt Sorum e Duff McKagan.

Quando questionado sobre o falecido colega, Slash confessou não ter boas lembranças do tempo que passou com o grupo: “Por mais louco que todo esse período tenha sido, eu ainda fiquei chocado ao ouvir sobre [a morte do] Scott. Mas sim, o Velvet Revolver não foi divertido. Não tenho nada de positivo para dizer sobre essa experiência, exceto que escrevemos algumas coisas legais.”

Na mesma entrevista, o guitarrista lembrou de quando conheceu Myles Kennedy pela primeira vez, vocalista que o acompanha em seu projeto solo. “Eu nunca tinha ouvido falar de Myles até saber que o Led Zeppelin estava tentando fazer algo com ele. Então eu pensei ‘esse cara deve ser muito bom’. Depois eu descobri que quando eu estava com o Velvet Revolver, Matt Sorum havia sugerido que trabalhássemos com ele, antes de Scott se envolver. Mas Myles nunca apareceu. Acho que ele ficou com medo ou algo do tipo e nada aconteceu.”

Ele ainda contou que quando ouviu a voz de Kennedy pela primeira vez, ele se surpreendeu e o chamou para cantar “Starlight”, do seu álbum auto-intitulado lançado em 2010. “É muito fácil trabalhar com o Myles. Criativamente, nós somos muito parecidos.”

O Velvet Revolver ficou na ativa entre os anos de 2002 e 2008, voltando para uma breve reunião em 2012. Weiland foi demitido da banda por seus problemas com drogas, assim como aconteceu com o Stone Temple Pilots.

Confira mais notícias sobre: