Durante uma entrevista no programa de Stephen Colbert, o ex-Beatle Paul McCartney contou que entrou disfarçado em uma sessão de cinema com sua esposa Nancy Shevell para assistir Yesterday, filme que imagina um mundo sem a banda.

“Foi bem divertido. Nós estávamos na fileira do fundo, e alguém no filme diz: ‘Paul McCartney, o maior compositor da história’. Eu tive que rir. Foi bem legal. Queríamos ver o filme com as pessoas, não com os executivos do estúdio. Achei ótimo”, ele contou.

Ele ainda confessou sonhar constantemente com John Lennon, seu amigo e ex-parceiro de banda. “Quando você tem um relacionamento tão próximo e profundo com alguém, por tanto tempo, às vezes essa pessoa pode te visitar nos sonhos. Eu amo quando isso acontece”, ele confessa.

McCartney também comentou um pouco sobre seu relacionamento com o músico, revelando sentir um ligação forte com Lennon que, assim como ele, perdeu a mãe muito cedo. “Nós dois conhecíamos aquele sentimento. Eu nunca pensei que isso afetou minha música, até alguém me dizer que ‘Yesterday’ poderia ser sobre a minha mãe. ‘Por que ela teve que ir? / Eu não sei/ Ela não me disse’. Eu não escrevi com essa intenção, mas talvez seja.”

No fim da entrevista, o cantor relembrou uma foto sua com John Lennon e falou sobre a maneira negativa em que a imprensa retratou o fim dos Beatles, como uma briga entre os integrantes que resultou no fim da amizade deles.

“Eu acreditei na ideia de que eu fui o ‘vilão’ da história. Tantos rumores circularam na época. Eu comecei a me questionar: ‘Eu realmente conhecia John? Nós éramos amigos?’. Ver essa foto reafirma, para mim, que éramos sim. Era muito legal quando trabalhávamos junto.”

Assista a entrevista logo abaixo.

Categorias: Notícias