A banda Malvina se utiliza do conceito de Guerra Híbrida no novo som

Após 3 anos sem lançamentos, a banda de hardcore Malvina ressurge no que considera um momento de agonia política. O novo single, acompanhado de lyric lideo, tem como assunto central os acontecimentos mais recentes na história do país. Do polêmico Impeachment de Dilma Rousseff à ascensão de um programa conservador e o ódio crescente.

“Hybrid War” relaciona esses fatores como característicos das Guerras Híbridas, novo conceito das ciências políticas. Seria um movimento que busca garantir a manutenção da hegemonia dos Estados Unidos, como defende a banda no novo single.

Segundo a teoria, os EUA identificam problemas em países-alvos e exploram suas vulnerabilidades. Assim, alcançam objetivos estratégicos. No Brasil, a banda cita o Pré-Sal como um dos interesses dos norte-americanos.

“A construção de um futuro mais justo em um dos países mais desiguais do mundo foi suspensa por interesses de mercado e ódio de classe”, comenta Vinícius Berbert, vocalista e baixista.

A música, por sua vez, mistura hardcore punk com metal e elementos do jazz e do progressivo da década de 70. “Essa é uma música bem política, na qual tratamos de lapidar cada uma das partes fortalecendo o elo entre letra e música. Da batida acelerada do hardcore conseguimos fazer pontes pra partes como o refrão, onde o ritmo se aproxima ao jazz. Além de explorar elementos do trash metal e do progressivo”, explica Bernardo Berbert, vocalista e guitarrista.

“Hybrid War” é o primeiro single do álbum de mesmo nome que deve ser lançado em abril. Assista ao lyric vídeo abaixo:

LEIA TAMBÉM: Roger Waters critica show beneficente para população da Venezuela: “é um truque”

Tags:
Categorias: Notícias