Danny Goldberg também falou sobre as teorias que cercam a morte do vocalista

No último dia 5 marcou 25 anos que perdemos Kurt Cobain, líder do Nirvana. Na semana que acompanhou a data, o ex-empresário da banda Danny Goldberg lançou o livro Serving The Servant: Remembering Kurt Cobain que conta histórias inéditas do vocalista.

Entre as diversas curiosidades, uma se destacou. Goldberg revelou que Cobain pensava em seguir carreira solo e até marcou sessões de estúdio com o frontman do R.E.M. Michael Stipe, mas não apareceu.

“Eu acho que ele teria encontrado formas diferentes de se expressar, às vezes na banda, às vezes fora dela”, conta o empresário que também falou sobre as teorias que cercam a morte de Cobain. “É rídiculo”, ele disse sobre a ideia de que o músico foi assassinado.

“Por que as pessoas falam essas coisas? (…) Eu o vi uma semana antes de falecer e ele estava deprimido. Ele havia tentado se matar seis semanas antes e escrito várias vezes sobre suicídio. Ele estava drogado e tinha uma arma.”

LEIA TAMBÉM: Nirvana: “Kurt Cobain sabia que Dave Grohl cantava bem”, diz empresário

Confira mais notícias sobre: