Segundo o empresário, Chris Fehn “não é acionista, dono ou membro de nenhuma entidade de negócios”

O empresário do Slipknot falou sobre o atual processo movido por Chris Fehn contra a banda. Segundo ele, o percussionista era um empregado contratado pelo grupo e não um parceiro dos membros fundadores.

Fehn saiu do Slipknot no mês passado depois de processar os colegas por causa de pagamentos. A banda depois disse que ele “preferiu apontas os dedos e inventar alegações em vez de fazer o que era necessário” para continuar a ser parte do grupo. Corey Taylor ainda tuitou que foi “erroneamente acusado de roubar dinheiro”.

O advogado de Fehn disse que o músico achava que todos seriam tratados igualmente. O processo dizia que o Slipknot o havia recebido como parceiro quando ele entrou em 1998.

Agora, o empresário Rob Shore negou o fato. “Mr. Fehn performou com o Slipknot e recebeu uma taxa para fazê-lo”, disse. “Ele não é um acionista, dono ou membro de nenhuma entidade de negócios como ele defende nessa ação”.

LEIA TAMBÉM: “Metallica” e “Slipknot” estão entre as senhas mais hackeadas do mundo

Confira mais notícias sobre: