Confira mais um texto escrito por um de nossos WikiBrothers:

O show rapidamente se esgotou e a banda abriu mais uma sessão que em poucos dias estava cheia. No dia do show, alguns fãs chegaram com 3 horas de antecedência no local para garantir o melhor local para esse evento histórico!”

por Marcel Ianuck

Existiu uma banda de hard rock paulista no início dos anos 2000, inspirada no melhor do hard rock dos anos 70 e 80 no Brasil e no mundo, que trouxe de volta o rock teatral e, principalmente, o espírito do it yourself (faça você mesmo) para as bandas desse gênero. Essa banda chamava-se Exxótica e era formada por Daniel Iasbeck (guitarra/vocal), “Reverendo” Marcelo Rossi (baixo/vocal) e pelo misterioso baterista Espectro. A banda era uma máquina de composição, sempre em português, e produção!

Vários e excelentes discos feitos na raça, DVDs, clipes, trilha para game, distribuição em banca de revista (com direito a disco de ouro, platina e etc..), fases como quarteto (períodos onde os guitarristas Fábio Hoffmann e Boris, o Louco, integraram a banda), shows bombásticos em diversos cantos do país.. Porém, após o ciclo de divulgação do subestimado álbum “Jogos de Azar: Sexta Rodada”, a banda encerrou as suas atividades.

Durante esse hiato, Daniel Iasbeck produziu bandas e gravou um disco como membro efetivo da histórica banda Secos & Molhados. Marcelo Rossi gravou um EP com sua banda solo, sob o nome de Reverendo, além de produzir um excelente documentário sobre a história do rock brasileiro, disponível no Youtube.

Eis que em 2014, devido a insistência dos fãs na página oficial do Exxótica no Facebook, Daniel e Marcelo se reúnem e, com um novo Espectro segurando as baquetas, armam a volta da banda.

Dia 25 de outubro de 2014 – Estúdio Espaço Som em São Paulo – era a data da tão falada volta. Um espaço pequeno (capacidade por volta de 100 pessoas), mas com uma infra-estrutura bem razoável para o evento. Mais uma vez, arregaçaram as mangas e começaram fazer as vendas de ingressos pela internet. Resultado: o show marcado para as 18 horas rapidamente se esgotou e a banda abriu mais uma sessão às 20:30, no mesmo dia, que em poucos dias estava cheia também! No dia do show, alguns fãs chegaram com 3 horas de antecedência no local para garantir o melhor local para esse evento histórico!

O Exxótica tem uma discografia única, cheia de boas músicas “perdidas”, e merece ter seu lugar ao sol”

Com essa resposta mais que positiva, o trio subiu no palco energizado pelo público com o hit Eu Mesmo (do disco “IV”) levando os presentes a loucura! Daniel mostra estar na sua melhor forma tanto vocal quanto debulhando nas seis cordas. Reverendo continua carismático e comunicativo, além de tocar e cantar muito bem. Aliás a química entre os dois é algo fundamental para a banda, e ficou transparente nesse show que quando está no seu auge, não tem pra ninguém! Também é necessário falar que o novo Espectro, ou mini-Espectro como apelidado pela idade e tamanho, toca como gente grande e acredito que ainda vai dar no que falar.

O show continuou com a faixa bônus da coletânea “Arquivo”, Poder Tão Pouco e Querer Demais, que se mostrou uma faixa poderosa ao vivo, que merecia talvez um melhor lugar na discografia da banda. Daí pra frente rolou uma coleção de hits com Boca do Lixo, Não Sou de Ferro, Gato Preto, Por Você, empolgando os presentes que cantaram muito junto com a banda e não deixaram a peteca cair, nem quando alguns problemas técnicos causaram falhas na guitarra do Daniel.

O set prosseguiu alternando entre músicas conhecidas e alguns que tiveram menos destaque, como as músicas do citado disco “Jogos de Azar”, mostrando como o Exxótica tem uma discografia única, cheia de boas músicas “perdidas”, e que ainda é relevante e, por isso, merece ter seu lugar ao sol.

Os dois últimos sons, talvez as músicas mais conhecidas do grupo, levaram o lugar abaixo”

Os dois últimos sons, talvez as músicas mais conhecidas do grupo, levaram o lugar abaixo. Estamos falando da cara de pau Meia Noite/Sexta-Feira e da excelente Eu Quero Deixar (Você Fugir De Mim), que nunca entendi como não tocou nas rádios convencionais – sempre considerei um hit pronto para as massas! Durante esse encerramento, pela primeira vez na história da banda (que eu saiba), um dos integrantes foi “desmascarado” no palco, revelando a atual identidade do baterista Espectro: o jovem Sergio Marchezoni.

Despedidas do público e pausa para o próximo show, onde os poucos ingressos restantes voaram, principalmente pela revelação de que o segundo show teria um outro setlist, com pelo menos 30% de músicas diferentes. Infelizmente não pude presenciar esse segundo show mas, pela repercussão, também foi um estouro!

A prova que essa volta veio com tudo é o anúncio de que, no dia 20 de dezembro de 2014, o Exxótica estará lançando, no mesmo lugar, o novo single Não me cobre, que estará presente no vindouro EP de retorno. Evento fortemente recomendado para quem é fã da banda ou para quem gosta de rock and roll brasileiro em geral.

Setlist – 25/10/2014 – 18:00

– Eu Mesmo
– Poder tão pouco e querer demais
– Boca do Lixo (R. Aurora 72)
– Não sou de ferro
– Gato Preto
– Por você
– Não há nada lá
– Perversa, Safada, Gostosa e Vulgar
– Amigo Perdido
– Nada Mudou
– Agora
– Porcos no Quintal
– Festa Bizarra
– Calígula
– Vida
– Meia Noite/Sexta-Feira
– Eu quero deixar (você fugir de mim)

Links:
Música Festa Bizarra: https://www.youtube.com/watch?v=20KllPm5PBA
Música Porcos no Quinta: https://www.youtube.com/watch?v=yBeXopkpuiE
Exxótica em Ação: https://www.youtube.com/watch?v=uGJgKyr806Y
50 anos do Rock Brasileiro: https://www.youtube.com/channel/UC_VSZNXa24ODoCGpMTJgIPQ

*Este texto foi elaborado por um Wikimate e não necessariamente representa as opiniões dos autores do site.

Clique aqui para ver os outros textos do WikiBrother Marcel Ianuck.

Tags:
Categorias: Opinião