Mais uma lista, mais polêmica. Antes de qualquer coisa, essa lista reflete uma opinião pessoal. Lógico que há alguns fatos que são indiscutíveis, mas outros dão margem a diferentes interpretações, discussões, trocas e até mudanças de ideias.

Lembrando que as opiniões diferentes são bem-vindas desde que sejam colocadas com respeito e com argumentações plausíveis. Fiquem à vontade para comentar, imaginem que estamos numa mesa de bar e já tomamos algumas cervejas.

Peço desculpas a bandas que eu amo muito e que acabaram não sendo incluídas nessa lista, Grand Funk Railroad, Stone Temple Pilots, Soundgarden, ZZ Top, Alice in Chains, Queensryche, Lynyrd Skynyrd, Red Hot Chilli Peppers, Faith no More, Slipknot, Anthrax e Twisted Sister.

Desculpas a esses Deuses do Rock, se tivéssemos espaço para 22 ou 23 vocês todos estariam na lista. Foi muito difícil escolher apenas 11 nomes para representar o segundo principal país do mundo no que diz respeito à bandas de rock e metal. Então vamos lá, à (minha) lista definitiva das maiores bandas de rock e metal dos EUA em todos os tempos. 

11. Megadeth (Los Angeles, Califórnia)

Dave Mustaine é um cara diferenciado. Um cara que, depois de ter sido expulso do Metallica, conseguir formar uma banda do nível do Megadeth merece estar nessa lista. Pela obstinação, pela resiliência, pela determinação e pela perseverança, apesar de todos os problemas que ele teve com drogas no passado, e de saúde recentemente, temos que tirar o chapéu para esse cara.

Grande guitarrista, grande mestre dos riffs, figura emblemática do metal mundial. Dave Mustaine e o Megadeth têm que ser reverenciados, ainda mais depois que a banda incluiu um dos maiores guitarristas brasileiros, o grande ex-Angra Kiko Loureiro no seu line-up. Longa vida ao Megadeth, longa vida ao sensacional Dave Mustaine e ao seu fiel escudeiro, o gente finíssima Dave Ellefson. 

10. Rage Against the Machine (Los Angeles, Califórnia)

Essa banda surgida em Los Angeles em 1991 tem todos os componentes necessários para que um nome se torne icônico na história do rock. A mistura de hip-hop com heavy metal, a forma de tocar guitarra totalmente única e diferenciada de Tom Morello, a cozinha groovada e super precisa de Brad Wilk e Tim Commerford e os vocais rasgados e falados com letras extremamente politizadas e super contundentes de Zack de La Rocha tornam o RATM uma banda impactante e viciante.

O show deles gravado na Cidade do México que virou DVD é a prova de que ver uma banda ao vivo pode ser uma experiência transformadora. Impossível ficar indiferente ao som deles. Que vontade de gritar: Fuck You I Won’t Do What You Tell Me, MOTHER FUCKER!!!

9. Nirvana (Seattle, Washington)

Por termos apenas 11 slots nessa lista acabei tendo que escolher uma entre as muitas bandas excelentes que surgiram nos anos 90 em Seattle. Tanto o Alice in Chains, quanto o Soundgarden ou até o Pearl Jam poderiam estar muito bem representados nesta lista. Apesar de cada uma dessas bandas ter características únicas e distintas, todas acabaram sendo colocadas na mesma “cesta” chamada de grunge. Na minha opinião uma injustiça porque cada uma delas é muito mais do que isso.

Acabei escolhendo o Nirvana por eles terem sido os primeiros que eu escutei. Nunca vou me esquecer do impacto que senti ao ouvir “Smells Like Teen Spirit” pela primeira vez. O que era aquilo? Uma banda punk? Rock? Uma mistura de tudo que eu já tinha ouvido com uma atitude diferente. Letras super melancólicas e uma energia original, vontade de entrar no mosh como se não houvesse amanhã.

O Nirvana sacudiu o mercado da música e mudou o mundo, serviu de inspiração para milhares de garotos que começaram a tocar guitarra, ou bateria, e foram os principais responsáveis pela atitude Do It Yourself (em português, faça você mesmo), parecida com o que aconteceu no movimento punk, mas dessa vez no início dos anos 90.

8. Pantera (Dallas, Texas)

Uma banda, para ser completa e entrar em uma lista desse calibre precisa ter todos os seus integrantes em sintonia, precisa ter todos os elementos para se tornar uma lenda. E o Pantera tinha tudo isso e muito mais.

Esses cowboys do inferno, impossível ficar parado ouvindo “Mouth for War” por exemplo. Os irmãos Darrell, Vinnie e Dimebag, tiravam um som que nunca mais ninguém conseguiu tirar da bateria e da guitarra. Phil Anselmo, fale o que quiser dele, mas como frontman é inigualável, o maior frontman do thrash metal, se é que podemos chamar o Pantera de uma banda de thrash (na minha opinião, SIM, Pantera era thrash, com pitadas de um tempero “Extra Hot” Texano). Rex Brown com sua precisão, competência e presença de palco completava o time. E o carisma, sabe aquela coisa que não temos como explicar? Então, eles tinham de sobra.

7. Slayer (Los Angeles, Califórnia)

O que falar do Slayer? A banda mais íntegra do metal mundial. Esses nunca pisaram na bola, mesmo com alguns discos irregulares ao longo da carreira pode-se dizer que eles nunca fizeram merda. Mesmo depois do afastamento e da morte do principal compositor da banda, Jeff Hanneman, o Slayer conseguiu convidar um guitarrista genial e à altura, o respeitadíssimo mestre dos riffs e das bases pesadas, Gary Holt, eterno guitarrista e líder do Exodus, outro gigante do thrash metal mundial

O Slayer se despediu dos palcos no ano passado e já fazem falta, muita falta. Ao escrever esse pequeno texto me deu uma vontade enorme de ouvir o disco mais perfeito da banda e um dos pilares do thrash metal, Reign in Blood, com direito ao grito do mestre Tom Araya no início de “Angel of Death” (pobres vizinhos)…

6. Guns’n Roses (Los Angeles, Califórnia)

Impossível não reconhecer o impacto que o Guns’n Roses teve no mundo da música ao lançar o perfeito primeiro álbum da banda Apetite for Destruction. Eles foram os responsáveis por trazer o rock de volta ao mainstream e às rádios. Serviram de inspiração para que milhões de adolescentes comprassem uma guitarra e aprendessem um instrumento.

Trouxeram o perigo de volta ao rock que andava bastante bundão e limpinho, cheio de maquiagem e glitter. Eles trouxeram de volta o jeans e o couro, regados a muito Jack Daniels e outras substâncias ilegais. Foram eles que sujaram tudo de novo, ainda bem. Ainda lembro da primeira vez que ouvi “Welcome to the Jungle” e “Sweet Child o’ Mine” e era difícil definir o que era aquilo. Glam dos anos 70? Hard rock a la Aerosmith? Metal? Com certeza uma mistura de tudo isso.

Axl e Slash estão entre as principais duplas de vocalista-guitarrista da história do rock e o Apetite for Destruction é um dos mais importantes discos de estreia de uma banda em todos os tempos.

5. Ramones (Nova York, Nova York)

Falando em bandas influentes, esses sim influenciaram inúmeras bandas do mundo inteiro. Mesmo com alguns energúmenos que chegaram a pensar que Ramones era uma marca de camisetas, eles praticamente inventaram o punk rock nos anos 70 e mostraram para o mundo as maravilhas que poderiam ser feitas com três acordes.

O mundo não seria o que é hoje se não fossem os Ramones. Não existiria punk rock, thrash metal, grunge, muitas bandas que ouvimos hoje nunca teriam se aventurado no mundo da música se não fosse Joey, Johnny, Dee Dee e Tommy. Uma grande pena não termos mais nenhum integrante da formação original entre nós, mas temos um dos maiores gritos de guerra do rock, Hey Ho Let’s Go!

4. Van Halen (Pasadena, Califórnia)

Estamos falando de Van Halen (e não de “Van Hagar”). Essa banda chegou perto da perfeição, muito perto. Do álbum de estreia ao 1984 (que tinha um dos maiores hits da história do rock, a clássica “Jump”), a banda lançou discos inigualáveis.

Eddie Van Halen é simplesmente um gênio da guitarra, e se não for o maior guitarrista de todos os tempos, está no TOP 3. Eddie mudou a forma de tocar guitarra, ele na verdade inventou um novo instrumento e tirou sons que nunca tinham sido tirados anteriormente. O carisma e a presença de palco (e os figurinos) de David Lee Roth eram únicos, e ele, sem dúvida alguma, é um dos maiores frontmen da história do rock. A cozinha também era única, Michael Anthony, o baixista que fazia os backing vocals mais perfeitos da história, e o monstro que comandava aquela verdadeira “nave” com 4 bumbos, Alex Van Halen, completavam esse line up dos sonhos. Nunca vai existir uma banda como o Van Halen, pelo menos o VH daqueles 6 primeiros discos, e isso é um fato. 

3. Aerosmith (Boston, Massachusetts)

Ver um show do Aerosmith é uma experiência única. Steven Tyler e Joe Perry estão entre as maiores e mais influentes duplas de vocalista-guitarrista da história. Sem eles não teríamos o Guns ‘n Roses e tantas outras bandas que foram influenciadas pelos “Toxic Twins”.

A banda conseguiu a incrível façanha de conquistar o mundo duas vezes. Na primeira parte da carreira eles lançaram pérolas como “Mama Kin”, “Toys in the Attic”, “Walk This Way”, “Sweet Emotion” e uma das baladas mais maravilhosas de todos os tempos, “Dream On”. Quando voltaram, nos anos 80, depois de terem se livrado das drogas que quase acabou com a vida de seus integrantes, o Aerosmith voltou com tudo, tudo mesmo! Com o álbum Pump fizeram mais sucesso do que nunca, e colocaram o rock de volta ao topo das paradas. Foram inúmeros sucessos, até em trilha sonora de filme Hollywoodiano e a banda conseguiu segurar a mesma formação ao longo de (quase) toda a carreira.

2. Kiss (Nova York, Nova York)

You Wanted the Best, You Got the Best. The Hardest Band in the World KISS!!! Quem já ouviu essa frase sabe o que ela causa na cabeça e no corpo de um fã de rock. O Kiss foi responsável, durante mais de 40 décadas, pelo maior espetáculo da Terra. Um show do Kiss é uma experiência única, sempre foi e sempre será. Eles foram os responsáveis por transformar um show de rock em uma grande festa, com um show de luz, explosões, sangue, maquiagem, guitarras e guitarristas voando, e muitos, muitos outros efeitos pirotécnicos.

Sempre comandados pelos gênios do marketing e da música, Gene Simmons e Paul Stanley, essa dupla acabou virando o Lennon e McCartney do hard rock, sempre acompanhados por feras como o genial Ace Frehley e Peter Criss em sua melhor e mais inesquecível fase, ou por Bruce Kullick e Eric Carr na sua fase mais pop e comercialmente bem sucedida, ou por Tommy Thayer e Eric Singer na sua fase “revival“, o Kiss é e sempre será um gigante do rock, e deve ser sempre reverenciado e respeitado pelos serviços prestado à música. Nunca haverá outra banda e outro show como o Kiss.

1. Metallica (São Francisco, Califórnia)

O Metallica começou em Los Angeles, mas é São Francisco que eles consideram sua casa. Essa banda formada por quatro garotos fanáticos por metal tinha Dave Mustaine na sua formação original. Este foi substituído pelo grande Kirk Hammett que tocava no Exodus, e encaixou como uma luva no Metallica, uma excelente escolha não só pela criatividade e bom gosto nos seus solos e riffs, mas também pela personalidade “tranquilona”, e por se dar bem com Lars Ulrich e James Hetfield, os “donos” da banda.

Junto com o hippie Cliff Burton, o Metallica inventou um tipo de som que mudou a vida de adolescentes ao redor do mundo, inclusive a minha. Os três primeiros discos da banda atingiram a perfeição. Depois veio a tragédia, a morte prematura do genial Cliff, um dos maiores baixistas da história do metal (juntamente com Steve Harris (do Iron Maiden) e Terry “Geezer” Butler (do Black Sabbath). O Metallica então se reinventou, não só uma mas muitas vezes. Com o Black Album atingiram o topo do mundo se tornaram a maior banda de rock do planeta.

Passaram pela banda o excelente baixista Jason Newsted,  que depois foi substituído pelo experiente Robert Trujillo, que trouxe um sangue novo para a banda. Pra mim, Death Magnetic é um disco perfeito e com os shows BIG 4 que eles organizaram com o Slayer, o Megadeth e o Anthrax, o Metallica trouxe o metal de volta para o topo do mundo.

O carisma, a energia, a originalidade e a autenticidade do Metallica, fazem da banda o maior nome do rock e metal americano de todos os tempos. Estão merecidamente no lugar mais alto do pódio dessa minha humilde lista das maiores bandas de rock e metal dos EUA em todos os tempos. 

Tags:
Categorias: Listas Notícias