Texto por Marcelo Gomes

O Lynyrd Skynyrd se apresentou no Espaço Unimed, na cidade de São Paulo, e o show foi uma experiência inesquecível de rock and roll. Comemorando 50 anos de estrada, eles provaram porque são uma das maiores bandas de southern rock de todos os tempos com uma apresentação memorável.

Ao som de “Thunderstruck” do AC/DC, um trailer com imagens da banda foi exibido com várias imagens raras da história da banda. Sem muito alarde, Johnny Van Zant (vocal), Rickey Medlocke (guitarra), Mark Matekja (guitarra), Damon Johnson (guitarra), Michael Cartellone (bateria), Keith Cristopher (baixo), Peter Keys (teclados) e as backing vocals, Carol Chase e Stacy Michelle, subiram ao palco do Espaço Unimed para desfilar seus clássicos com muita energia e paixão.

Logo nos primeiros acordes de “Workin For MCA” ficou evidente que os americanos não perderam sua magia ao longo dos anos. O trio de guitarras estava inspirado e o Johnny Van Zant, que vem carregando a tocha de vocalista da banda por tantos anos, mostrou que sua voz poderosa mantém a coragem e a qualidade que comoveu os fãs por décadas.  

A sequência parecia ter colocado o público numa máquina do tempo, “Skynyrd Nation” e “What´s Your Name” fizeram as pessoas voltarem à adolescência quando descobriram essas canções. Agora tudo parecia fazer sentido. Dava para sentir o brilho no olhar dos fãs que aguardavam há décadas por esse momento. 

“É um prazer estar aqui nesta noite, estamos esperando desde 2011 para voltar ao Brasil, mas é uma honra celebrar os 50 anos de Lynyrd Skynyrd com vocês”, diz Johnny antes tocarem “That Smell”. Na audiência, o que se via eram muitos amigos reunidos e famílias que celebravam o rock com um sorriso no rosto, afinal, música é sobre isso.

Claro, nenhum show do Skynyrd estaria completo sem “I Know A Little”, “Whiskey Rock A Roller”, “Saturday Night Special” e “The Ballad Of Curtis Loew”  que tiveram a capacidade de transportar os fãs para um época  mágica do southern rock. Em “Tuesday´s Gone”, com imagens nos telões do ex-guitarrista Gary Rossington, fizeram uma merecida homenagem a ele, que faleceu há alguns meses. 

O que veio a seguir foi o ápice da noite, “Simple Man” é uma música fantástica e contou com a participação inusitada do vocalista Nando Fernandes da banda Sinistra. Se na noite anterior, o Ghost enalteceu o trabalho da Crypta, o Lynyrd Skynyrd colocou um vocalista brasileiro para cantar um dos maiores clássicos do rock.

O convite veio por parte do generoso Johnny que avistou Nando com um cartaz dizendo querer cantar “Simple Man”. Antes do Nando subir ao palco escalando pela frente mesmo, Johnny dedicou a música às tropas brasileiras e a partir daí virou história. Nando nunca escondeu ser um grande fã da banda. Visivelmente emocionado,  cantou com seu coração e fez um dueto tocante numa cena que ficará eternizada na mente de todos. Aquele vozeirão todo, meio que embargado, trouxe um sentimento de consagração ao brasileiro. Ao final, com a bandeira dos Estados Unidos e do Brasil no telão, Nando se despede dizendo que Lynyrd é a maior banda do mundo.

Conforme o show caminhava para o fim, os americanos quebraram tudo com “Gimme Three Steps” e “Call Me The Breeze”, deixando o público querendo mais. A musicalidade da banda é impressionante, o trabalho de cordas é fantástico, destacando as harmonias das três guitarras. A presença de palco de toda a banda foi contagiante e ficou evidente que eles estavam se divertindo tanto quanto o público.

As primeiras notas entregaram o clássico absoluto, “Sweet Home Alabama”, talvez a música mais popular da banda nas rádios rock brasileiras. O sentimento de nostalgia tomou conta de todos e marcou de forma emocionante a despedida dessa parte do show.

O bis contou com a épica “Free Bird”. A canção icônica teve uma homenagem comovente ao falecido vocalista Ronnie Van Zant, irmão de Johnny. Com suas imagens projetadas no telão, os fãs tiveram a chance de ouvi-lo cantando com a banda causando arrepios e fechando com chave de ouro essa apresentação antológica.

O show do Lynyrd Skynyrd foi um espetáculo de rock and roll. A banda fez uma apresentação poderosa e seus clássicos soaram atuais e relevantes como sempre. Foi uma noite repleta de nostalgia e emoção com um tipo de música que transcende gerações. Noite histórica para os fãs de rock no Brasil.

Nossa colaboradora Leca Suzuki também esteve no show e registrou a noite. Confira abaixo a galeria de fotos.

Categorias: Notícias Resenhas