Cannibal Corpse e Cher não poderiam estar em extremos mais distantes do mundo da música. Enquanto a banda de death metal é conhecida pela brutalidade no som e nas letras, Cher conquistou as paradas com pop dançante. Mesmo assim, os caminhos de George Fisher se cruzaram com os da diva – e renderam uma boa história.

Em entrevista à Metal Hammer sobre o próximo álbum do Cannibal Corpse, Violence Unimagined, o Corpsegrinder contou a história do encontro, que ocorreu “15 ou 20 anos atrás” por intermédio de Elijah Blue Allman, filho de Cher.

Elijah convidou o Cannibal Corpse para uma apresentação em sua festa de aniversário. Como Fisher faz aniversário apenas dois dias antes, resolveu chegar em Los Angeles alguns dias antes para aproveitar com a esposa. Nesse período, foi convidado para visitar Elijah na mansão de Cher, mas a artista estava em um dia de compras na data. “Pensei, ‘Claro que ela está fora fazendo compras’”, brincou o vocalista.

Quando a cantora chegou, foi simpática e preparou comida para os convidados. “Eu fiquei tipo, ‘Ok, legal, mas não é como conhecer King Diamond ou Chuck Billy, porque sou fascinado por esses caras”, continuou Corpsegrinder.

Quando a cantora decidiu ir ao show, ele se desculpou por ela ter que ouvir Cannibal Corpse, mas a diva disse que tinha gostado. “Eu falei, ‘Vamos lá, Cher, faça o sinal do metal!’, e ela respondeu ‘Querido, eu era metal antes mesmo de você nascer’”, relatou Fisher. “Pensei, “Caramba, acabei de ser detonado pela Cher!’”

O álbum Violence Unimagined será lançado em 16 de abril, veja tracklist e capa aqui.

LEIA TAMBÉM: Demi Lovato escondia ser fã de death metal por pressão da Disney: “Não deveria gostar”

Categorias: Notícias