No mês passado, o grupo de hard rock Thunder lançou o álbum Dopamine, o primeiro duplo da carreira. Com 16 faixas, o disco aborda os mais diversos assuntos, desde a pandemia e seu efeito em nossas rotinas até as consequências das redes sociais na sociedade.

Em meio a divulgação do disco, o guitarrista Luke Morley conversou com o Wikimetal sobre a temática de Dopamine, além de ter contado um pouco sobre o processo criativo e de gravação do grupo. Confira abaixo a entrevista na íntegra e em seguida ouça Dopamine.

Wikimetal: Como foi o processo de composição do álbum? Alguma coisa mudou desde o último?

Luke Morley: Eu escrevi as músicas e gravei as demos no meu estúdio em casa e depois enviei as músicas para a banda, que é a mesma forma que estamos acostumados a trabalhar. A única grande diferença era que eu não tinha absolutamente nenhuma distração, porque não podíamos fazer turnê, e eu realmente não podia fazer mais nada além de continuar escrevendo, por causa da pandemia e da quarentena. Acho que é por isso que o álbum acabou virando um álbum duplo.

WM: Vocês gravaram o álbum pós-pandemia? Como foi a experiência?

LM: Como gostamos de gravar nas profundezas do interior britânico, pudemos fazer testes e nos isolar nos estúdios Rockfield e Vada. Para ser honesto, foi ótimo porque conseguimos nos reunir e trabalhar em um momento em que a maioria das pessoas não conseguia. Acho que isso tornou todo o processo mais agradável e fomos lembrados da sorte que temos de ganhar a vida fazendo o que amamos.

WM: O que você pode nos dizer sobre o álbum e o tema em torno dele?

LM: Existem dois temas que percorrem o álbum ao mesmo tempo – a pandemia e seu efeito nas pessoas e as mídias sociais. Algumas das músicas são sobre isolamento e solidão (“One Day We’ll Be Free Again”, “Disconnected”, “Is Anybody Out There”) e tentando esperar por tempos mais felizes à frente (“Dancing In The Sunshine”) e algumas olham como as mídias sociais podem ser um lugar escuro (“No Smoke Without Fire”). Espero que, apesar de trazer alguns assuntos pesados, o álbum ainda seja animado de ouvir!

WM: Você é guiado pela letra ou pela melodia quando está escrevendo uma música?

LM: Ambos podem acontecer. Eu tenho um caderno em que eu anoto tudo o que acho que pode ser assuntos interessantes para escrever e uso o gravador de voz do meu telefone para fazer notas musicais, então me sento e tento entender tudo.

WM: Você está sempre escrevendo e gerando músicas ou terá um período de silêncio agora que lançou Dopamine?

LM: Eu evitei escrever desde que terminamos de gravar Dopamine, mas estou começando a ter ideias novamente agora, então espero que minhas baterias tenham recarregado completamente.

Tags: