Em uma nova entrevista com o apresentador Darren Paltrowitz, Ian Paice foi perguntado se houve algum período em que o Deep Purple se preocupou em não conseguir manter sua longevidade ou não conseguir emplacar um hit. Paice negou, dizendo que bandas de rock estavam mais focadas em álbum, mas disse que os integrantes ficaram apreensivos com a saída definitiva de Ritchie Blackmore em 1994.

“A única vez que ficamos preocupados foi perto do fim do período do Ritchie com a banda. Ele estava perdendo o interesse e nossas performances não era tão boas porque precisamos que todo mundo se ajude; você não pode ser um passageiro. Nós vimos as plateias ficarem menores e menos impressionadas e isso foi preocupante,” conta.

Paice descreveu a saída de Blackmore como “traumática” e admitiu que o Deep Purple “não sabia o que fazer” naquele momento. O que os salvou, segundo ele, foi a turnê no Japão, que recebeu Joe Satriani no lugar de Ritchie Blackmore.

“Nós tivemos que ir ao Japão com o maravilhoso Joe Satriani e isso provou que existe vida depois de alguém tão grande quanto o Ritchie. Ele não queria estar lá, mas era nossa banda tanto quanto era a banda dele e nós ainda estávamos nos divertindo. Nós voltamos a nos divertir quando o Joe apareceu e se tornou um quinto membro da banda. Essa foi a luz no fim do túnel.”

LEIA TAMBÉM: Bruce Dickinson do Iron Maiden e Roger Glover do Deep Purple se apresentam em homenagem a Jon Lord; assista

Categorias: Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *