Spencer Elden, o famoso bebê da capa do disco Nevermind, alterou alguns detalhes de seu processo contra o Nirvana para incluir novas provas que reforçam suas alegações de exploração sexual e produção de pornografia infantil.

Na nova versão, Elden alega que Kirk Weddle, o fotógrafo responsável pelo ensaio de capa, também tirou fotos do bebê vestido como Hugh Hefner, o fundador da Playboy. Isso reforçaria seu argumento sobre o bebê ser retratado como um “trabalho do sexo, se agarrando a uma nota de um dólar”.

Além disso, também foram citadas passagens dos diários pessoais de Kurt Cobain, que foram publicados em 2002. “Diários não-datados escritos por Cobain possuem rascunhos da capa do álbum de maneira sexual, com sêmen ao seu redor,” diz o documento. “Em várias passagens, o diário descreve a visão conturbada de Cobain para a capa do Nevermind, assim como seus problemas emocionais: ‘Gosto de fazer incisões na barriga de bebês e depois foder a incisão até que a criança morra’”, cita.

Os documentos também reforçam a alegação de que o fotógrafo tinha a intenção de “provocar uma reação sexual visceral no espectador” ao ativar o “reflexo de vômito de Spencer antes de jogá-lo debaixo d’água em posições que ressaltam a exposição de seus genitais.”

LEIA TAMBÉM: Dave Grohl comenta processo aberto por bebê do ‘Nevermind’: “Ele tem uma tatuagem do álbum”

Tags:
Categorias: Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *