Em participação no The Wikimetal Happy Hour, Aquiles Priester e Nando Machado comentaram brevemente sobre o preço de uma bateria como a do músico – o que, de acordo com Priester, equivale ao valor de um apartamento ou um carro importado.

O baterista revelou que na última vez em que mencionou o valor exato de seu equipamento, ele teve a bateria roubada na saída de um evento de música no Brasil. “Roubaram e a direção da Expomusic em São Paulo ainda teve a cara de pau de me falar que eles não tinham responsabilidade porque nós fomos abordados na saída do estacionamento. E viva o músico brasileiro,” ironizou. “Pau no c* do músico brasileiro.”

Nando e Aquiles discutiram também a importância da música no cotidiano das pessoas, especialmente com a pandemia, e o baterista contou a história de um colega que teve todos os pratos da bateria roubados dentro do estúdio.

“Ladrão que rouba músico não tem perdão,” comenta Aquiles. “Sem falar que a gente tá passando por uma pandemia onde as pessoas não estão trabalhando – os músicos muito menos – e aí os caras roubam o instrumento da pessoa ainda. É muita tristeza.”

LEIA TAMBÉM: Aquiles Priester precisou adaptar tamanho da bateria antes de abrir show do Dream Theater: “Eles avisaram antes”

Categorias: Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *