De início, a associação entre o Weezer com o heavy metal é imperceptível, mas ao conhecer melhor a banda é possível entender o apelo que o som do grupo norte-americano pode ter aos fãs da música pesada.

Rivers Cuomo, vocalista da banda, iniciou sua carreira no hair metal, como explicamos no editorial da semana Itaipava de Som a Sol, evento onde a banda de apresentou na última quinta, 26 – dois dias antes de seu set no Rock in Rio. Além disso, o músico já declarou diversas vezes que suas influências variam entre os vários subgêneros do rock e heavy metal e isso foi comprovado no show.

Às 21h30 em ponto, um locutor anunciou a entrada do grupo e, entre gritos e aplausos vindos de todos os cantos do local, o Weezer deu início ao Itaipava de Som a Sol. Vendo o copo meio cheio, a quantidade de fãs tornou a apresentação em algo intimista, o que colaborou para o clima de encontro de amigos que Cuomo e companhia criaram no Ginásio do Ibirapuera.

“Buddy Holly”, clássico da banda, foi escolhido para dar o pontapé no set de 20 faixas, sendo cinco delas covers. Entre hits, Cuomo arriscava um português para agradecer os fãs e dizer o quanto estava feliz de, finalmente, voltar ao Brasil. A última apresentação do grupo foi em 2005 e desde então, eles já lançaram diversos discos, incluindo o Teal Album e o Black Album, ambos lançados esse ano. O primeiro, disponibilizado em janeiro, trouxe covers de Black Sabbath, a-ha, Michael Jackson, Toto e mais – canções que rechearam o show.

Após 14 anos de espera, é calculado que a banda escolhesse suas maiores canções para tocar, mas mesmo tendo passado um tempo longe dos seus fãs brasileiros, Cuomo sabia exatamente o que eles queriam. Rivers, Patrick Wilson, Brian Bell e Scott Shriner pareciam amigos de infância dos alguns milhares de fãs pulando e cantando cada palavra no ginásio. Até mesmo quando apresentou covers de “Paranoid” do Black Sabbath, “Lithium” do Nirvana e “Take On Me” do a-ha.

O Weezer está na ativa desde 1992 e seu apoio em releituras pode soar estranho para quem desconhece o seu trabalho, mas é uma das únicas bandas – se não a única – que encara o desafio de frente e saí vitoriosa, fazendo o mesmo com suas composições originais. O grupo navega entre as diferentes áreas e subáreas do rock e heavy metal e faz isso com tanta delicadeza e sutileza que tanto uma música de Ozzy Osbourne quanto uma de Morten Harket (a-ha) poderiam ser suas.

A extensão musical dos americanos não parou por aí. Ao voltar para o bis, o quarteto apresentou uma versão acapela incrível de “Buddy Holly”, canção que abriu o show. Em seguida tocaram outro hit, “Say It Ain’t So”. Depois dessa sequência, não havia um fã desanimado e assim o Weezer se despediu de São Paulo: carregando uma grande bandeira do Brasil com seu logo desenhado por cima. Até o Rock in Rio, Weezer!

Veja abaixo fotos exclusivas do show tiradas por Marcela Lorenzetti e em seguida, confira a setlist.

previous arrow
next arrow
Slider


Setlist Weezer @ Ginásio do Ibirapuera – 26/09/2019

  1. Buddy Holly 
  2. Undone – The Sweater Song 
  3. Hash Pipe 
  4. My Name Is Jonas 
  5. Happy Together (The Turtles) – medley com “Longview” do Green Day
  6. Holiday 
  7. Island in the Sun 
  8. Perfect Situation 
  9. Take On Me (a-ha)
  10. The End of the Game 
  11. Surf Wax America 
  12. Africa (Toto)
  13. The Good Life 
  14. El Scorcho 
  15. Paranoid (Black Sabbath)
  16. Pork and Beans 
  17. Beverly Hills 
  18. Lithium (Nirvana)
    BIS
  19. Buddy Holly (versão em acapela)
  20. Say It Ain’t So

Tags: