Confira mais um texto escrito por um de nossos WikiBrothers:

Revelando os segredos…”

Por Gilson Rodrigues de Arruda, Imperative Music

Desde os anos 90 eu estou trabalhando na cena do Metal tanto no Brasil como no exterior, e gostaria de compartilhar o que geralmente as bandas famosas hoje em dia fizeram no passado, talvez as novas bandas possa aprender alguma coisa disso e se beneficiar em sua carreira.

Também, além de minha experiência em relações internacionais com bandas, gravadoras, lojas, imprensa da Europa, Estados Unidos e Japão, eu também sou formado em Comércio Exterior e notei várias ferramentas, situações e políticas nos negócios a nível mundial.

Trabalhar a nível Nacional é uma coisa, ainda é importante sempre ser profissional. Mas trabalhar a nível mundial, é um passo feito aos poucos com muito profissionalismo, muita paciência e humildade.

10 Sistemas Básicos no Negócio da Música Pesada

1 – Isto é um negócio, haverá empresários querendo ganhar dinheiro, mas a sua banda pode ganhar espaço e algum dinheiro nos lugares certos. Se for querer fazer shows no exterior, procure uma agência, pergunte as bandas que tenham trabalhado com o mesmo, e se for querer investir na Europa, selecione países ‘chaves’ como a Alemanha, França, Inglaterra pois nestes países têm muito público e muitas gravadoras e revistas mais importantes para tentar fechar um contrato, conseguir entrevistas, vendas de merchandise, etc.

2 – Faça negócio com todo mundo, não é capitalismo, mas o que eu quero dizer é a questão de parcerias, por exemplo, não deixe de enviar seu CD para resenha para um Fanzine da Bolívia, da Lituânia, pois eles são tão importantes como um da Alemanha ou Estados Unidos. Sei de uma história que uma banda da Suécia foi contratada por uma gravadora Europeia após terem respondido uma entrevista para um pequeno fanzine da Bolívia, incrível né? Eu já ouvi e sei de bandas que não fazem entrevistas com todo mundo, ou não enviam material promocional para conseguir resenhas em outras partes do mundo, qual vantagem tem nisso?

3 – Responda os e-mails dentro de 24 horas ou no máximo em uma semana, se caso estiver passando por problemas pessoais. Lembre-se, o bom atendimento é fato para manter clientes e as pessoas vão ver você como um cara responsável para futuros negócios. Na página do Facebook e de outras redes sociais coloque os seus endereços de contatos (Emails, Endereço Postal, Website, Telefone).

4 – Aprender inglês custa caro, e as nossas escolas ensinam quase nada. Pelo menos o vocalista da banda precisa dominar essa língua, vai ter utilidade, é algo a pensar e estudar.

Muitas bandas conseguiram contratos internacionais com gravadoras após o segundo ou terceiro álbum lançado de forma independente”

5 – Ter banda é um investimento a longo prazo, às vezes, não é com o primeiro álbum que a banda vai conseguir sucesso, veja as bandas do passado, muitas delas conseguiram contratos internacionais com gravadoras quando a banda lançou o segundo ou terceiro álbum de forma independente ou por uma gravadora pequena de seu país. Este foi o caso do Behemoth. Nestes casos, a persistência é fundamental.

6 – Divulgação nunca foi e nunca será um investimento perdido. Todas as mídias são um canal para conseguir algo diferente, alguns leitores leem somente uma revista, sendo que o país pode ter duas revistas, então seria bom enviar seu promo-CD para ambos, entenderam? Comece a divulgar a nível local, estadual e depois a nível nacional, e quando a banda estiver madura e ter um material bem gravado, invista no mercado internacional.

7 – Conexão e Cooperação com outras bandas do seu território e de outras localidades. Dê confiança e espaço para aprender com todo mundo, também você vai precisar correr atrás das pessoas, e não ficar esperando que o telefone toque para conseguir as coisas. Muita humildade e entusiasmo será bom para construir a sua carreira no mundo da música.

8 – Se não for no primeiro álbum, faça um esforço e planejamento para lançar um álbum mais profissional possível, gravado, masterizado em estúdios de renome. A capa e designer do CD precisa ter boa apresentação. O mesmo é relativo a videoclipe, tente uma produção profissional.

9 – Compartilhar! Uma ferramenta de nossos dias pelas Redes Sociais, porém antes era fotocopiar (xerox) os flyers e passar pelas cartas, e dava certo. Hoje no Facebook por exemplo, compartilhar faz as pessoas ficarem informadas dos shows, das resenhas da sua demo ou álbum, informar o lançamento do CD ou camisetas. Qualquer e todas as matérias sobre a sua banda, é um dever compartilhar para manter a banda em alta e conseguir novos fãs, porque você acha que o Metallica ou Megadeth estão todo dia “enchendo” o saco (no bom sentido, risos) com novos vídeos, comentários ou algo da vida particular deles? Este é um tipo de marketing para conquistar e direcionar os olhares para eles. Não acredito que as bandas grandes toquem só o que eles querem ou gostem, 80% da elaboração do repertório é para agradar, aproveitar a onda do cenário musical atual, como sabemos, já teve a onda mais Hard Rock, a onda Grunge, e na atualidade estamos na onda mais pesada ou extrema, veja o grande sucesso e interesse das grandes gravadoras por bandas como Behemoth, Amon Amarth, até em filmes aparecem as músicas dos caras. Até Dream Theater, Metallica deixaram seus álbuns recentes mais pesados, portanto a tendência é o Metal pesado, é preciso prestar atenção e acompanhar este movimento, se a sua banda tem a intenção de fazer sucesso.

10 – Sejam vocês mesmos, copiar é algo que eu diria: É meio caminho andado para o fracasso. Eu sei que todos nós somos fãs de muitas bandas, mas imitar a voz, os riffs de uma banda grande, pode limitar o interesse da grande maioria, ser melhor do que o original, é algo que eu nunca vi, sinceramente. Na era da demo pode ser até divertido ver uma banda imitando, tocando como um tal banda grande, mas quando a banda vai lançar um álbum, melhor tentar ser original no máximo que puderem. Eu sei que muitas bandas tem influências, mas não pode ser uma cola na cara que alguém diga “isto é igual a tal banda”. O ideal seria alguém dizer “essa banda é tão boa como tal e tal bandas”.

Desejo a todas as bandas boa sorte e que este relatório que descrevi nos anos que venho a trabalhar no Brasil e resto do mundo possa ser de alguma utilidade e melhoramento na carreira de sua banda, um abraço para todos!

*Este texto foi elaborado por um Wikimate e não necessariamente representa as opiniões dos autores do site.

Confira mais notícias sobre: