Parabéns aos WikiBrothers Andre Vargas, Caio Marcello e Conrado Arcoleze que levaram o pôster do álbum tributo a Dio, “This Is Your Life” !!

A minha faixa favorita do álbum tributo ao Dio é “The Last in Line”. É muito bom ver que o Tenacious D se consegue adaptar tão bem a outros estilos de música que não o seu (rock comico) e esta canção é um excelente exemplo da qualidade dessa banda enquanto artista. O Jack Black tem uma voz fantástica, muito poderosa e um timbre muito próprio, que encaixa de forma perfeita nessa música. Ele poderia cantar qualquer coisa e ainda assim soar espetacularmente bem. O Kyle Gass, apesar de ser desvalorizado, é um excelente guitarrista e adaptou muito bem o seu estilo a esta música. Uma das minhas partes favoritas da música é o solo de flauta. Construíram um elemento muito criativo ao substituir a guitarra pela flauta e soou surpreendentemente bem. Os Tenacious D eram fãs muito dedicados a Dio, que era dos seus maiores e mais queridos ídolos. Esta foi uma grande homenagem que decerto agradou a Dio, onde quer que ele esteja :’) – Andre Vargas

Uma das minhas faixas favoritas do disco é a versão de Rainbow in the Dark. A canção ficou com um toque moderno e hard rock devido aos integrantes que executaram a canção,sem perder a essência da original. Tirando a falta do sintetizador que marca a musica original, nessa versão é encorpada com mais energia nas guitarras de Chirstian Martucci e Satchel,mas sem perder o brilho da original. Corey Taylor detonou nos vocais,sendo compatível sua melodia durante a canção. – Caio Marcello

Minha faixa favorita do tributo ao mestre Ronnie James Dio é a histórica “Temple Of The King”, presente no disco com uma versão mais do que emocionante do Scorpions. Essa faixa foi uma das raras músicas que eu me apaixonei logo na primeira vez que eu ouvi, em especial na voz emocionante do mestre Dio. No álbum tributo, foi ainda mais especial pelo fato de estar sendo gravada por uma das minhas bandas favoritas, o Scorpions. A banda alemã apresentou uma versão emocionante demais, digna de fazer qualquer um chorar, em especial com a voz de Klaus Meine, me fazendo lembrar em várias partes o modo que o Ronnie cantava essa canção gloriosa. O arranjo da banda alemã ficou magnífico, em especial os guitarritas Matthias Jabs e Rudolf Schenker que fizeram um trabalho magnífico. Enfim, tenho certeza que Ronnie no lugar em que ele está quando ouviu essa versão magnífica de Temple Of The King, assim como nós ao relembrarmos dessa fígura tão magnífica que foi Ronnie James Dio. – Conrado Arcoleze