Parabéns aos WikiBrotheres que levaram ingressos para o workshow do Vinny Appice em São Paulo no dia 6 e Curitiba no dia 7! Confira abaixo os vencedores!

Na minha opinião, a música que o Vinny esteve em seu ápice é TV Crimes. Embora ele esteja em atividade desde o final dos anos 70 em atividade e vivenciou o crescimento do metal nos anos 80, nos anos 90, com toda aquela efervescência grunge varrendo todas as bandas de hard rock (com exceção do Guns’n’Roses e do Bon Jovi), o Black Sabbath voltou à tona, com o grande álbum Dehumanizer nas prateleiras e a realização de uma turnê mundial propriamente dita. Não só a volta do Dio, mas a pegada do Vinny realmente impactou positivamente no Black Sabbath, trazendo a banda em voga novamente. Depois do Dehumanizer, Vinny continuou com a carreira, lançando grandes discos com Dio, Heaven & Hell e Kill Devil Hill, mas sem o mesmo impacto causado em 1992. – Raphael Rodrigues

Vinny Appice Desumanizou o mito de que a Máfia Manda eliminando o Mal Vivo, com um Mergulho Santo do seu Coração Sagrado foi O Último da Linha, esteve entre o Céu e o Inferno com a Interrupção de um Sonho Maligno passou por Estradas Estranhas, viu Máquinas Furiosas e no Inferno foi o Último Vivo, mas só O Diabo Sabe que o seu ápice foi produzir o Arco-íris na Escuridão.

Tentei mencionar a música que considero seu ápice “Rainbow in the Dark” e os principais trabalhos do Vinny:
Mob Rules (1981) Live Evil (1982) Dehumanizer (1992) The Devil You Know (2009) Holy Diver (1983) The Last in Line (1984) Sacred Heart (1985) Intermission (1985) Dream Evil (1987) Strange Highways (1994) Angry Machines (1996) Inferno: Last in Live.
– Wellinton de Souza