Música do Periphery foi citada em julgamento

Evie Amati, uma mulher de 26 anos atacou três pessoas com um machado dentro de uma loja de conveniência em janeiro de 2017. De acordo com a ABC de Sydney, o promotor do caso mencionou durante o julgamento que Amati estava ouvindo a música “Flatnine” da banda Periphery antes de atacar as pessoas, alegando que a faixa traz “alguns temas bastante sombrios”.

O advogado de Amati argumentou que a cliente não era culpada pelo ataque, pois sofre de uma doença mental e afirmou que ela estava sobre o efeito de uma “mistura tóxica de medicamentos hormonais para transição de gênero, maconha, anfetaminas e álcool”.

O guitarrista do Periphery, Mark Holcomb, falou sobre o caso: “Estamos em 2018 e os advogados ainda acham relevante mencionar que tipo de música um aspirante a assassino ouve. Mais algumas perguntas pertinentes: Qual o episódio favorito de Seinfeld? Comida favorita? Mj ou LeBron? Star Wars ou O Senhor dos Anéis? Apple Music ou Spotify? Qual a Golden Girl favorita?”

Esta não é a primeira vez que tentam fazer com que uma música de metal seja considerada motivação para crimes. Em 86, Ozzy Osbourne foi processado ligando a música “Suicide Solution” a morte de um adolescente.

Tags:
Categorias: Notícias