Confira mais um texto escrito por um de nossos WikiBrothers:

Um Headbanger fanático definitivamente terá vantagens biológicas”

por Juninho

Havia abordado brevemente o assunto em um artigo anterior, que tratava das bandas mais altas do mundo.

Resolvi desta vez fazê-lo de modo mais completo, até porque diz respeito a informação potencialmente benéfica e de grande interesse a todos os tipos de público.

É comprovado cientificamente que 150 minutos semanais de atividade física moderada ou 75 minutos semanais de atividade vigorosa trazem melhorias diversas à saúde das pessoas. Esse tempo pode ser acumulado – por exemplo, 30 minutos diários de 2ª a 6ª feira – ou em doses mais intensas – 1 hora de exercício vigoroso, 2 vezes por semana; etc.

É sabido que uma das características daqueles que vivem a filosofia Heavy Metal é a prática do Headbanging (em português, “bate-cabeça”) e também dos Moshs nos Mosh Pits (em português, as famigeradas “rodas”). Tratam-se de brincadeiras extremamente agitadas, com atitudes agressivas, porém em um ambiente pacífico e fraterno. A demanda física é intensa, por vezes podendo levar a contusões naqueles mais despreparados fisicamente, assim como acontece em qualquer esporte praticado inadvertidamente por indivíduos sem preparo físico adequado.

O fato é que, por se tratar de uma atividade física vigorosa, se for realizada com frequência durante 75 minutos semanais ou mais, certamente trará vantagens à saúde daqueles que a praticam. Se levarmos em conta o total de shows internacionais em 2013 na cidade de São Paulo, teremos a incrível média de 1 show diferente a cada 3 dias, o que oferece a possibilidade de Headbangings e Mosh Pits coletivos, ultrapassando em muito a indicação médica de 75 minutos semanais de exercício físico de grande intensidade. Conclui-se que um Headbanger fanático definitvamente terá vantagens biológicas advindas dessas práticas.

Quanto mais Metal, menos depressão, menos ansiedade e menos stress. Quanto mais Metal, mais bom humor, maior concentração e melhor memória”

São diversos os benefícios físicos da prática regular de exercícios intensos como o Headbanging e os Mosh Pits, tendo repercussão em praticamente todo o corpo. Vamos a eles:

– relação inversamente proporcional ao risco de desenvolvimento de Doenças Cardiovasculares e risco de morte por doenças cardíacas (quanto mais Metal, menor a chance de doenças como Infarto Agudo do Miocárdio). Em alguns estudos observacionais o risco de morte chegou a ser reduzido em até 50% ao ano;

– melhoria do metabolismo de lipoproteínas e colesteróis (quanto mais Metal, menor a concentração sérica de LDL, que é o colesterol ruim, e maior a de HDL, o colesterol bom);

– menores níveis séricos de marcadores inflamatórios, como interleucina-6 (IL6);

– aumento absoluto da capacidade cardiorrespiratória (quanto mais Metal, maior o fôlego!);

– diminuição e melhor controle dos valores absolutos da pressão arterial sistêmica (quanto mais Metal, menor a chance de Hipertensão);

– menor risco de acidentes vasculares cerebrais (quanto mais Metal, menor a chance de AVCs);

– melhoria do controle glicêmico (quanto mais Metal, menor a chance de desenvolver Diabetes tipo 2);

– prevenção contra câncer de mama, cólon, próstata, endométrio e pâncreas. Dados de estudos observacionais sugerem que atividade física intensa diminui o risco relativo de aparecimento da doença, especialmente nos cânceres colorretais (quanto mais Metal, menor a chance de câncer);

– prevenção e tratamento da obesidade. Sabe-se que exercício físico intenso, associado à correção do hábito alimentar, é o melhor tratamento para a obesidade (quanto mais Metal, menos ganho de peso);

– atividade física intensa e regular está associada a aumento da densidade mineral óssea (quanto mais Metal, menor a chance de osteoporose);

– maior facilidade em abandonar o tabagismo, ainda mais hoje em dia, onde todas as casas de shows são, por lei, ambientes livres do tabaco (quanto mais Metal, menos cigarro);

– menor chance de formação de cálculos na vesícula biliar (quanto mais Metal, menos colelitíase)

– menor chance de desenvolvimento de doenças neurodegenerativas (quanto mais Metal, menos Demência Senil e menos Doença de Alzheimer);

– maior, melhor e mais organizada produção endógena de neurotransmissores como noradrenalina, acetilcolina, dopamina, serotonina e endorfinas em geral (quanto mais Metal, menos depressão, menos ansiedade e menos stress. Quanto mais Metal, mais bom humor, maior concentração e melhor memória);

– melhora do sono reparador (quanto mais Metal, menos insônia);

– menos episódios de cefaléia e enxaqueca (quanto mais Metal, menos dores de cabeça);

– menos lesões dos vasos sanguíneos (quanto mais Metal, menos Aterosclerose);

– redução do nível sistêmico de superóxidos/radicais livres (quanto mais Metal, maior o efeito anti-envelhecimento);

– menor suscetibilidade a infecções oportunistas (quanto mais Metal, melhor a imunidade)

Os Pits são compostos por Headbangers que vivem a mesma filosofia Heavy Metal que você. Ninguém lá é seu inimigo”

Como qualquer atividade física, os Mosh Pits e os Headbangings realizados inadvertidamente e sem preparo, aumentam o risco de lesões. Portanto, seguem abaixo algumas dicas para que você possa praticá-los com segurança:

– não entre numa roda grande sem ter experiência prévia. Se uma pessoa sedentária, por exemplo, resolver disputar uma partida oficial de futebol do campeonato brasileiro, ela provavelmente irá se machucar na primeira dividida de bola. O mesmo acontece no Heavy Metal. Procure começar em rodas menores, com os amigos mais próximos. Aos poucos você ganhará resistência e experiência, podendo frequentar os Mosh Pits de eventos maiores;

– use calçados e roupas confortáveis, principalmente roupas de algodão que permitem adequada eliminação de calor a água (suor). Não se esqueça de amarrar bem o calçado;

– procure não se embriagar, pois isso diminui seus reflexos;

– não beba ou fume dentro do Mosh Pit;

– hidrate-se rigorosamente antes e após cada prática de Mosh;

– movimente-se bastante na roda, preferencialmente em movimento circular ou elíptico. Evite ficar parado no centro do Pit;

– o Mosh tem atitude forte, agressiva, mas não violenta. Não entre na brincadeira com intenção de machucar alguém, pois isso pode te trazer sérias consequências. Os Pits são compostos por Headbangers que vivem a mesma filosofia Heavy Metal que você. Ninguém lá é seu inimigo;

– retire pulseiras e colares que tenham pontas de metal;

– não use óculos nem mochilas no meio dos Mosh Pits;

– ao levantar uma pessoa, peça a ajuda de outros companheiros. O mesmo serve para ajudar a descer alguém. Lembre-se que o excesso de peso pode provocar lesões osteomusculares em você;

– respeite e tenha cuidado com as mulheres do Mosh Pit. Lembre-se que elas têm menos força física que você;

– mulheres que frequentam as rodas: estejam cientes de que vocês poderão ser atingidas;

– caso alguém caia no chão, proteja-o e alerte os demais Headbangers ao seu redor. Certifique-se posteriormente de que ele não esteja machucado;

– não force o Mosh com os Headbangers que estão delineando as margens da roda. Se eles não estão no meio é porque não querem brincar naquele momento;

– se encontrar carteira, documento, celular, etc. de outra pessoa, segure-os no ar mostrando a todos na roda. Questão de boas maneiras!

– Mosh Pits estão absolutamente proscritos para indivíduos que possuem contra-indicação relativa ou absoluta à prática de exercícios de alta performance (por exemplo: pacientes em uso de anticoagulantes orais, portadores de miocardiopatia dilatada, arritmias, broncoconstrição induzida por esforço físico, osteogênese imperfeita, etc.).

Além dos benefícios físicos/biológicos, são inegáveis as vantagens socioculturais do Heavy Metal, um estilo marcado pela tolerância, respeito e erudição. Mas isso já é papo para outro artigo…

Resta ainda alguma dúvida sobre qual é o melhor de todos os estilos musicais?

Abraço a todos!

Juninho

\,,/

*Este texto foi elaborado por um Wikimate e não necessariamente representa as opiniões dos autores do site.

Clique aqui para ver os outros textos do WikiBrother Juninho.

Categorias: Opinião