Agora que começou dezembro acredito que já posso fazer minha lista de melhores discos do ano. Essa é uma lista com a minha opinião, mais uma vez, concorde, discorde, mande a sua lista.

Aproveite que o Natal está chegando e compre esses discos ou peça de presente para alguém, aproveite o mala do amigo secreto da firma e mostre essa lista para os seus colegas, tenho certeza que você vai gostar de ganhar qualquer um desses excelentes presentes!

1º Testament – Dark Roots of Earth

O disco perfeito começa pela capa e com Dark Roots of Earth esse foi exatamente o caso. Um disco de Thrash Metal puro produzido pelo excelente Andy Sneap (Kreator, Accept, Exodus, Megadeth). O disco também marca a volta de Gene Hoglan para a bateria e mais uma vez se destacam os excelentes solos, riffs e bases de guitarra, Alex Skolnick mostra mais uma vez que é o maior guitarrista da história do Thrash e Eric Peterson também está em plena forma. Fiquei feliz também em poder ouvir o poder da voz de Chuck Billy, que se recuperou de um câncer recentemente e está muito bem.

A melhor música é a faixa título, Dark Roots of Earth, mas o disco é inteiro bom, inclusive com excelentes bônus tracks de Powerslave do Maiden, Dragon Attack do Queen e Animal Magnetism do Scorpions.

2º Graveyard – Lights Out

Um disco sensacional do início ao fim. Impressionante a quantidade de bandas fazendo um som bem influenciado pelo Black Sabbath dos anos 70 mas pra mim, o Graveyard é a melhor de todas. Essa banda Suéca de Gotemburgo já está no 3 disco mas esse é o melhor dos 3. O vocal Joakim Nilsson canta muito, Lights Out é sem dúvida um dos melhores discos do ano.

Melhor música do disco e uma das melhores do ano: An Industry of Murder

3º Serj Tankian – Harakiri

É um disco sensacional com ótimas letras e uma excelnte produção feita pelo próprio Serj, É o disco solo de Serj Tankian mais próximo do som do SOAD, esperamos que ele volte em breve ao Brasil.

A melhor do disco e uma das melhores músicas do ano é Harakiri, assista o clipe que também é fantástico!

4º Stone Sour – House of Gold & Bones – Part I

Eu prefiro o Stone Sour ao Slipknot, acho uma banda muito mais legal e original. Nesse disco Corey Taylor mostra todo o seu talento e maturidade. Ao lado de Rachel Bolan (baixista do Skid Row) compôs excelentes músicas e o melhor trabalho de sua carreira. Ao lado do produtor David Bottrill (Muse, Dream Theater, Tool, Godsmack) o Stone Sour lançou um disco que mescla Hard Rock, Heavy Metal, Grunge, anos 70, Slipknot e até baladas, é um som moderno e criativo e mostra o caminho para onde o Metal vai no futuro. Que venha a parte II

A melhor faixa do disco pra mim é a porrada de abertura: Gone Sovereign

5º Lamb of God – Resolution

Desde que ouvi esse disco pela primeira vez sabia que entraria nessa lista, (inclusive eu falo isso no nosso especial do Lamb of God). O show que fizeram em SP foi excelente e a banda realmente está na sua melhor fase. É realmente muito triste o que aconteceu com Randy Blythe esse ano, mal puderam aproveitar a tour desse excelente disco. Estamos torcendo muito para que essa situação se resolva logo e que a banda volte com tudo depois do julgamento na República Tcheca no início de 2013, esperamos que Randy não seja vitima de preconceito e que os juízes o absolvam dessa acusação absurda.

Melhor do disco: Ghost Walking

6º The Cult – Choice of Weapon

Uma das minhas bandas de Rock preferidas, o The Cult lançou discos fantásticos ao longo dos últimos 30 anos. Em Choice of Weapon Ian Astbury voltou a cantar muito (dizem que está sóbrio novamente), e as guitarras de Billy Duffy estão mais afiadas do que nunca. A banda parece que tem uma formação estável novamente com destaque para o experiente baterista John Tempesta. Produção do parceiro de longa data do Cult, o grande Bob Rock e de Chris Goss do Master of Reality (e produtor de excelentes discos do Queens of the Stone Age e do Kyuss).

Melhor do disco: For the Animals

7º Kiss – Monster

Como é bom ver o Kiss de volta ao som pesado, pra mim o melhor disco desde Revenge. O Kiss acabou de passar pelo Brasil para uma série de 3 shows e mostrou estar em plena forma, o show deles continua sendo o maior espetáculo da Terra.

A melhor do disco é Wall of Sound

8º Van Halen – A Different Kind of Truth

Assim que ouvi pela primeira vez, fiquei feliz em imaginar que dessa vez a volta de David Lee Roth seria pra valer. Apesar de também gostar da fase “pop” com Sammy Hagar nos vocais o Van Halen pra mim sempre vai ser com David Lee Roth no vocal. Infelizmente tiveram que cancelar parte da tour mas espero que voltem o mais rápido possível e que incluam o Brasil nos futuros shows, com certeza lotaria um Morumbi, concordam? Outra pena foi Michael Anthony não fazer mais parte da banda, mas temos que admitir que Wolfgang Van Halen aprendeu direitinho. Eddie Van Halen continua sendo um dos maiores guitarristas do universo

Melhor do disco: China Town

9º Rush – Clockwork Angels

Rush é Rush. Dessa vez a maior banda do Canadá volta com um disco pesado e produzido pelo experiente Nick Raskulinecz (que já havia trabalhado com a banda no passado em Snakes & Arrows). Além do Rush, Nick já produziu Foo Fighters, Alice in Chains, Trivium, Evanescence, Stone Sour, Deftones, Marilyn Mason, Ministry, Death Angel, Danzig, Velvet Revolver, entre outros. Clockwork Angels é mais uma prova da originalidade do trio canadense que mostra a cada dia um som diferente e complexo. Difícil escolher quem é o músico que mais brilha no disco, cada um tem seus momentos, mas é realmente impressionante o que esses 3 caras fazem com seus instrumentos.

A melhor do disco pra mim é: Seven Cities of Gold

10º Adrenaline Mob – Omertá

O primeiro disco da super banda formada por Russell Allen, Mike Orlando, Mike Portnoy e John Moyer não decepciona. Pesado, com excelentes linhas vocais e melodias muito boas, nós do Wikimetal torcemos para que esse novo projeto de Mike Portnoy venha para ficar. Esperamos um show no Brasil em breve, será sensacional!

A melhor do disco pra mim é: Undaunted

11º Andre Matos –The Turn of the Lights

Esse é com certeza o melhor disco solo do Andre. 2012 foi um ano excelente para o maior vocalista do Metal nacional, a turnê To Live Again com o Viper fez muito bem pra ele e ficou claro que Andre está passando por um ótimo momento na carreira. A qualidade da produção e dos músicos são os destaques desse excelente disco. Existe uma variação muito legal de estilos dentro de Turn of the Lights, fica clara a influência de Queen em alguns momentos mas Andre realmente está fazendo um som original, Heavy Metal puro e sem rótulos

A melhor pra mim é Stop! Também vale a pena conferir a excelente versão de Fake Plastic Trees do Radiohead que só saiu na edição japonesa

Tags:
Categorias: Listas