Líder do Soulfly criticou falas do presidente Jair Bolsonaro

Max Cavalera, líder do Soulfly e ex-Sepultura, falou sobre o clima político brasileiro pós-eleição de Jair Bolsonaro. Apesar de viver no Arizona desde 1992, Max disse à Reading Eagle que ainda é muito próximo do Brasil. O controverso presidente, cujas ações e políticas se aproximam muito da extrema-direita, preocupa o músico.

“O Brasil tem um histórico de líderes corruptos. Ainda que tenhamos tido uns dois bons presidentes que fizeram boas coisas ao país”, contou Max. “Eu estava lá quando Bolsonaro foi eleito e tinha um clima muito estranho no ar. Foi similar a quando o Trump foi eleito nos EUA. Metade do país votou nele, mas a outra metade não.”

O músico criticou o atual presidente brasileiro. “Eu não gosto das coisas que ele fala sobre os índios e os negros. Ele não liga para a comunidade indígena. Essa é realmente a coisa que mais me incomoda”, adicionou.

Mas ele sente que essa é uma fase que deve passar. “A política é tão suja; eles são todos corruptos”, disse. “Mas tudo passa. Até esse cara vai passar e alguém virá. Com sorte, será alguém melhor.”

Bolsonaro tem sido criticado pelos comentários que faz também sobre gays e mulheres. Além de sua nostalgia pela Ditadura Militar brasileira, um dos períodos mais sombrios da história do país. Ele também tem como objetivo endurecer as forças armadas e defende que agentes da lei atire e mate criminosos.

LEIA TAMBÉM: Donita Sparks, do L7, xinga Bolsonaro e fala sobre música e resistência

Confira mais notícias sobre: