“Eu não me separei de Twiggy como amigo ou irmão”

Em Outubro de 2017, o baixista do Marilyn Manson, Twiggy Ramirez, foi acusado de estuprar a vocalista do Jack Off Jill, Jessicka Addams, sua ex-namorada. Logo após a acusação, Manson demitiu Ramirez de sua banda e desde então tem dado pouca atenção ao caso.

Agora, em uma entrevista a revista Kerrang! o músico falou sobre a demissão do seu baixista revelando que sua parceria passou por algumas mudanças mas seu relacionamento pessoal continua o mesmo.

“Eu não me separei de Twiggy como amigo ou irmão, porque eu ainda me importo com ele. Mas eu não posso dizer que meu relacionamento musical com Twiggy tem sido bom nos últimos anos. Meu relacionamento com Tyler Bater no The Pale Emperor [álbum de 2015] me fez acordar para algumas coisas e eu quis cortar a negatividade em minha vida.”

Ele continua dizendo que o ano de 2017 foi repleto de traições e foi necessário “limpar a casa”, se distanciando de algumas pessoas que faziam mal para ele. “Algumas pessoas confundem minha generosidade com fraqueza. Então eu adotei essa atitude de ‘se você me ferrar, sofrerá as consequências’”.

Desde a entrada de Bates na banda, a contribuição musical de Twiggy tem diminuído com o tempo. Ao ler os créditos de composição e instrumentos dos últimos álbuns, The Pale Emperor e Heaven Upside Down, é possível ver que o nome de Twiggy não aparece listado.

Categorias: Notícias