Músicos querem parte dos lucros

O processo judicial movido contra Tobias Forge, o Papa Emeritus, pelos outros 4 músicos do Ghost, Simon Soderberg, Mauro Rubino, Henrik Palm e Martin Hjertstedt teve um importante avanço no dia de ontem:

Representantes de ambas as partes se encontraram em um tribunal em Linkoping na Suécia para iniciar discussões sobre um possível acordo porém de acordo com o portal sueco Corren.se, o líder e fundador do Ghost falhou em sua tentativa de chegar a um acordo com seus ex-companheiros.

Forge não esteve presenta na preparação verbal do procedimento e foi representado por sua advogada Ann-Charlotte Söderlund Björk. Do outro lado, 2 músicos do Ghost estiveram presentes: Simon Söderberg (conhecido na banda como “Alpha”, tocou no Ghost de 2010 a 2016) e Mauro Rubino (conhecido como “Air”, tocou de 2011 a 2016).

Após o juiz ter perguntado se havia interesse em chegar a um acordo ao invés de levar o caso adiante, ambas as partes iniciaram negociações e após algumas horas a audiência foi encerrada sem terem chegado a um acordo.

Embora nenhum lado tenha comentado, é possível que novas tentativas de chegar a um acordo aconteçam antes de levar o caso ao Tribunal.

Os músicos processam Tobias Forge por terem recebido apenas o salário fixo sem nenhum percentual referente à venda de discos e shows.

Forge alega que a banda Ghost não é um conjunto, e sim seu projeto solo e que os outros integrantes são apenas “músicos contratados” não considerados cruciais para a banda ou insubstituíveis.

” rel=”noopener” target=”_blank”>Leia mais detalhes sobre o processo

Confira mais notícias sobre: