O baterista explica que o problema não era dinheiro

Criado em 1999, o Napster gerou muita polêmica entre os artistas, visto que incentivou a pirataria de música. Lars Ulrich, baterista do Metallica, foi um dos maiores representantes na luta contra o software. Agora, ele explica o motivo por trás da decisão da banda de processar a empresa.

“Fizemos essa música para um filme do Tom Cruise, ‘Missão Impossível 2’, chamada ‘I Disappear’. Gravamos durante uma turnê e íamos lançar um ano depois. Então um dia recebemos uma ligação de Cliff [Burnstein, co-empresário do Metallica] dizendo que ‘I Disappear’ estava tocando em mais de 20 rádios em todo o pais, e ficamos ‘Como isso é possível?’ E então ele explicou que existia algo chamado Napster.”

O baterista continua contando que eles não entenderam como tudo aconteceu: “A música estava guardada em um cofre em algum lugar”. Lars revela que o grande problema foi a falta de comunicação entre eles e o Napster, pois ninguém da empresa entrou em contato com a banda para pedir permissão para usar a música.

Ele finaliza dizendo “Ficamos presos nessa tempestade e todo mundo comentava ‘O Metallica é muito ganancioso’ mas aquilo não tinha nada a ver com dinheiro (…) Fomos pegos de surpresa e não sabíamos o que fazer. Como o Napster significa muito para algumas pessoas, tivemos que decidir como seguir em frente.”

Hoje, tanto Lars quanto a banda estão em paz com todos os serviços digitais de música. Ele até revela que Sean Parker, co-fundador do Napster e atual investidor do Spotify, é seu melhor amigo.

O Metallica acabou de finalizar a primeira parte de sua turnê europeia WorldWired e retornará em Fevereiro com um show em Portugal.

Confira mais notícias sobre: