Confira a declaração

Em entrevista à uma estação de rádio Dinamarquesa o líder do Slayer Kerry King falou sobre a temática das letras do Slayer, frequentemente relacionadas a horror e críticas à religiões. King respondeu a pergunta se Tom Araya já chegou a se negar a cantar algo composto por ele, por ser um homem religioso. Segue a declaração:

“É engraçado pois Tom, historicamente, não fala comigo sobre isso. Geralmente eu e Jeff conversávamos sobre isso, não sei porquê. Mas eu sempre achei que chegaríamos a um ponto em que eu falaria algo tão ofensivo que isso poderia acontecer, mas ainda não aconteceu. Acho que ele vê que o Slayer é divertido, é entretenimento, e acho que ele consegue racionalizar sua participação. Se ele acredita ou não, não é sobre os sentimentos dele. Acho que é assim que ele vai seguindo. Em entrevistas ele diz que suas crenças são suas crenças. Mas Slayer, desde os primórdios, é uma banda que canta sobre temas tabu, filmes de horror, anti-religião. Isso é o que o Slayer é, e fazer algo diferente disso faria com que qualquer fã que já tivemos odiasse a gente. E eu gosto. Gosto de filmes de terror e temáticas obscuras”.

Ler todas as noticias do Wikimetal News

Tags:
Categorias: Notícias