Ihsahn está atualmente se dedicando a carreira solo

Ihsahn, vocalista do Emperor, conversou com a revista Kerrang! sobre a banda ser pioneira na cena do black metal na Noruega e os efeitos na gravação do álbum Anthems To The Welkin At Dusk, lançado em 1997.

No início do ano o cantor falou ao Metal Wani sobre o assunto: “Os dois primeiros álbuns do Emperor foram absolutamente massacrados pela grande mídia do metal”, disse ele. “Dez, vinte anos se passaram e, de repente, vejo esses álbuns ao lado do disco de estreia do Black Sabbath como ‘O álbum mais influente e importante dos últimos 50 anos’ e coisas assim”.

Ele continuou: “Em 1991 nós não começamos uma banda obscura de black metal para fazer isso. Não havia cena, não havia ‘fazer isso’. Havia uma muito, muito pequena cena underground, meio que empurrando os extremos da música. Nós éramos adolescentes. Havia ambições artísticas, e não ambições comerciais. Eu gosto de pensar que foi a única razão pela qual acabamos tendo uma carreira porque, ao fazer isso, criamos algo que era exótico e único o suficiente para não competir com qualquer coisa que existia”.

O álbum solo do Ihsahn, Ámr, foi lançado em maio.

 

 

Confira mais notícias sobre: