Estudo vê que Pop e Rap citam mais

Um estudo publicado por dois cientistas da National Institute on Drug Abuse (Insituto Nacional Sobre Abuso de Drogas) concluiu que o Black Sabbath fala menos sobre drogas do que atuais artistas de Pop.

Os autores do estudo Dr. Kevin Conway e Dr. Patrick McGrain analisaram 156 músicas do Black Sabbath e concluíram que apenas 13% falam sobre drogas. Delas, 60% tratam das drogas como algo negativo.

A análise conclui: “Ao contrário da noção de que o Heavy Metal glorifica e encoraja o abuso de substâncias, as letras de Black Sabbath de modo geral tecem um conto preventivo sobre como o uso persistente de drogas pode sequestrar o livre arbítrio, transformar o foco de um indivíduo que foi afetado e produzir diversas formas de miséria humana”

O estudo compara as menções com a relação dos outros gêneros com as drogas, dizendo que o Rap e Pop não só falam muito mais de drogas, como encorajam o uso.

Categorias: Notícias