Confira a entrevista

Em entrevista a SPIN o vocalista do Slipknot foi questionado sobre a ideia que as pessoas tem sobre o público de Heavy Metal, relacionando o conservadorismo com a mensagem política de Donald Trump. Confira o trecho da entrevista:

SPIN: As coisas que chamaram atenção ao Trump em primeiro lugar foram suas posições controversas em relação à comunidade hispânica e com mexicanos. É engraçado que pessoas associariam Metal com esse preconceito, considerando que muitos ídolos do Metal são latinos, como Tom Araya do Slayer.

Corey Taylor:Você está absolutamente certo. Eu acho que o Heavy Metal e o Hard Rock são bastiões de liberdade, para garotos desajustados, crianças que se sentem de fora da sociedade normal. Então não apenas temos crianças de diferentes etnias, mas temos crianças que nasceram pobres de verdade, como eu. O Metal me tocou porque só quando eu cresci eu senti que eu tinha uma voz própria.

E é aqui que as pessoas se enganam: os fãs de Metal que vem ver nossos shows são algumas das pessoas mais cabeça aberta, animadoras, amáveis, protetoras e progressistas que eu já conheci. Nunca me preocupo que algo de ruim acontecerá em um dos nossos shows. Se um acidente acontece, isso é diferente, mas eu nunca me preocupo com brigas ou ataques, porque a gente cuida um dos outros. A mensagem que o Donald Trump passa é tão anti-Slipknot que não é nem engraçado, porque nós queremos que as pessoas se unam, e tudo que ele faz é tão divisivo. Tentar fazer com que as pessoas igualem muçulmanos com terroristas é tentar controlar e manipular pessoas. Suas visões sobre muçulmanos e latinos e seu silêncio no movimento Black Lives Matter provam quão despreparado ele está para unir as pessoas. Ele está preparado para dividi-las, para conseguir controlá-las.”

Categorias: Notícias