Confira mais um texto escrito por um de nossos WikiBrothers:

A.J criou a frase de bateria de uma das músicas mais tocadas no mundo, ‘We’re Not Gonna Take it’. Todos aqueles escolhem a bateria como instrumento, vão tocar a celebre, simples e eficiente frase criada por A. J, isso por si só já faz dele uma lenda no mundo da música”

por Gabriel Souza

Infelizmente hoje, dia 20 de Março, o mundo do Rock’N’Roll teve a triste notícia de que o homem que comandava as baquetas de uma das maiores e mais influentes bandas da história não estava mais entre nós.

A. J Pero, o baterista do Twisted Sister sofreu um infarto fulminante durante a madrugada e pela primeira vez seu imenso coração… falhou.

A. J nunca teve o devido reconhecimento pelo seu trabalho, nunca figurou listas como, “os 50 melhores bateristas do Heavy Metal”, apesar de ser infinitamente superior à maioria dos que figuram, porém o que ele conquistou é algo muito maior do que um numero em um ranking. A. J criou a frase de bateria de uma das músicas mais tocadas no mundo, We’re Not Gonna Take it. Todos aqueles escolhem a bateria como instrumento, vão tocar a célebre, simples e eficiente “frase” criada por A. J, isso por si só já faz dele uma lenda no mundo da música. Vamos então falar do coração de A.J Pero.

Quando um fã o agradecia pela atenção, ele retrucava com um sorriso no rosto: ‘Não, obrigado você pelo apoio ao longo dos anos'”

A.J era natural de Nova Iorque, dono de um coração enorme, um cara apaixonado por sua cidade, fazia questão de ajudar o corpo de bombeiros (Inclusive um dos roadies do Twisted Sister trabalha lá enquanto a banda não está em turnê), além de contribuir de diversas formas com orfanatos e hospitais. Porém ele nunca fez questão de aparecer na mídia por conta de suas boas ações, ele fazia aquilo apenas por que se sentia bem fazendo.

Na última vinda do Twisted Sister ao país, eu, meu amigo Bruno Miguel e meu falecido amigo/irmão Felipe Godoy tivemos a honra de conhecer o filho de A. J Pero, e isso fez com que nós, consequentemente, nos aproximássemos mais do A. J do que dos outros membros do Twisted Sister.

Sempre bem-humorado, A. J tratava os fãs com muito respeito, oferecia comida e bebidas para os que estavam na frente do hotel, tirava quantos fotos precisasse com cada um dos que ali estavam, assinava tudo o que botavam em sua frente e quando um fã o agradecia pela atenção, ele retrucava com um sorriso no rosto: “Não, obrigado você pelo apoio ao longo dos anos”.

Infelizmente no ano passado o Felipe teve um grave problema de saúde que acabou acarretando em sua morte. Enquanto ele estava no hospital, A. J Pero foi o primeiro a lhe mandar uma mensagem torcendo pela sua recuperação, logo após, todos os outros membros do Twisted Sister o fizeram, inclusive durante em uma apresentação em NY, filmada pela FOX.

Infelizmente o Felipe teve um grave problema de saúde que acabou acarretando em sua morte. Enquanto ele estava no hospital, A. J Pero foi o primeiro a lhe mandar uma mensagem”

Nessa semana eu e meu amigo Bruno estávamos relembrando de tudo isso, e planejando se encontrar novamente com A. J & Tony (seu filho e roadie), já que ambos viriam com o Adrenaline Mob para o Brasil. Banda onde A. J pode mostrar para aqueles que o consideravam “limitado”, toda a sua versatilidade, como seu forte ataque nos pratos e seu furioso e veloz pedal-duplo .

Não, para mim e para muitos fãs ao redor do mundo A. J não era “só mais um baterista”, era uma pessoa pela qual nós tínhamos grande admiração, foi primeiro membro do Twisted Sister que eu conheci, cuja música fez parte de vários momentos de minha vida e que eu só tenho a agradecer.

Obrigado por tudo mestre A.J., minhas condolências a família Pero. Heroes Are Hard To Find

*Gabriel Souza é colaborador da revista Roadie Crew

*Este texto foi elaborado por um Wikimate e não necessariamente representa as opiniões dos autores do site.

Categorias: Opinião